Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Míssil atinge Cabul durante discurso de presidente do Afeganistão

Ashraf Ghani falava à nação, a partir do palácio presidencial, por ocasião da festividade muçulmana da Eid al-Adha

Por EFE 21 ago 2018, 05h30

Pelo menos um míssil atingiu, nesta terça-feira, a capitão do Afeganistão, Cabul, seguido de várias explosões não identificadas, durante o discurso do presidente Ashraf Ghani, por ocasião da festividade muçulmana da Eid al-Adha ou “Festa do Sacrifício”, um ataque que chega após a proposta aos talibãs de um cessar-fogo.

O impacto do míssil na capital afegã por volta das 9h (horário local, 1h30 de Brasília), “sem causar vítimas”, afirmou o porta-voz da Polícia de Cabul, Hashmat Stanekzai, que foi seguido por uma série de explosões cuja origem ainda não está clara.

  • A primeira explosão aconteceu durante o discurso de Ghani à nação, a partir do Palácio Presidencial por ocasião da festividade muçulmana, um ato retransmitido ao vivo pelas emissoras de televisões, onde explosões foram ouvidas à distância.

    “Se acham que esta nação se curvará em relação ao ataque de mísseis (estão equivocados). Esta é uma nação valente, firme e sempre defenderá sua soberania, independência e os valores islâmicos”, afirmou o presidente afegão após as explosões.

    Ghani reiterou ao país que suas “forças de segurança estão totalmente preparadas e (essas explosões) e outros incidentes estão sob controle”, acrescentou.

    “Esta guerra, ataques suícidas e explosões não têm justificativa religiosa”, disse o presidente, ressaltando que “93%” dos afegãos desejam a paz, segundo uma pesquisa recente.

    A proposta de cessar-fogo feita no domingo à noite pelo presidente afegão não foi implementada.

    A medida estava programada para durar do dia 20 de agosto até o dia 20 de novembro (dia do nascimento de Maomé, Milad al-Nabi), mas ainda não foi implementada, nem mesmo durante as celebrações da Eid al-Adha, mas não houve uma resposta positiva dos insurgentes.

    Continua após a publicidade
    Publicidade