Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Miss americana finge câncer por 2 anos e arrecada 30 mil dólares

Brandi Lee Weaver-Gates, de 24 anos, fazia a família levá-la a hospitais, raspou a cabeça e até andou de cadeira de rodas para comprovar a farsa

Por Da redação 28 jul 2016, 13h59

Uma ex-miss do Estado da Pensilvânia, nos Estados Unidos, parecia viver uma dramática batalha contra o câncer, que durou mais de dois anos. A verdade, porém, é que Brandi Lee Weaver-Gates, de 24 anos, nunca esteve doente. A jovem confessou o crime e, nesta quinta-feira, foi condenada com uma pena de dois a quatro anos de prisão, quando disse ao juiz que forjou a doença para “chamar atenção”.

Tudo começou em março de 2013, quando a vencedora de diversos concursos de beleza e aluna da Universidade Estadual da Pensilvânia começou a contar para seus amigos e familiares sobre o falso diagnóstico. A jovem afirmava ter Leucemia Linfoide Crônica, um tipo de câncer com uma taxa de sobrevivência de 34,8%.

Aos poucos, a universitária começou a publicar mensagens em suas redes sociais, que foram desabilitadas desde a sua prisão. Segundo a imprensa local, ela chegou a publicar no Facebook a mensagem “Não acredito que já faz uma semana que descobri que estou em remissão! #tchatchaucâncer”. Ao sustentar uma elaborada mentira, a miss conseguiu arrecadar 30.000 dólares (98.000 reais) de benfeitores que queriam ajudá-la com o tratamento.

Leia também:
Jovem que fingiu ter câncer terminal para ir morar com a professora é condenada a 2 anos de prisão
Vídeo: Mulher atropela o namorado após descobrir que ele tem HIV
Mulher aparece no próprio velório e choca homem que encomendou sua morte: o marido

Durante a farsa, Brandi pediu que a irmã a levasse a diversos hospitais, incluindo algumas viagens de três horas ao John Hopkins, na cidade de Baltimore. Ela fazia sua família aguardar aflita de seis a oito horas para que fizesse “sessões de quimioterapia”, enquanto, na verdade, vagava pelo hospital.

De raspar a cabeça até andar em cadeiras de rodas, a jovem fez todo o possível para manter sua invenção. Em 2015, ela foi coroada Miss Pensilvânia em um concurso de beleza e recebeu atenção por ganhar a coroa enquanto batalhava contra doença. Um de seus amigos chegou a carregá-la durante uma corrida que ela dizia ter sonho de participar, para que pudesse cruzar a linha de chegada.

A trágica brincadeira acabou em agosto de 2015, quando a polícia recebeu uma denúncia anônima com suspeitas sobre a jovem. Ao conferir com os hospitais, todos afirmaram nunca terem visto Brandi. Agora, a miss terá que enfrentar a cadeia, devolver o dinheiro e abrir mão de seus títulos em concursos.

Continua após a publicidade
Publicidade