Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Ministério russo teme formação de acampamento em Moscou após eleições

Moscou, 2 mar (EFE).- O Ministério do Interior da Rússia afirmou nesta sexta-feira que alguns líderes da oposição compraram várias tendas de campanha para montar um acampamento em Moscou depois das eleições presidenciais deste domingo.

‘Segundo dados do ministério, alguns organizadores de atos de protestos não autorizados compraram várias tendas de campanha para colocá-las na cidade’, explicou à agência ‘Interfax’ um porta-voz do Ministério.

As forças da ordem afirmaram que impedirão ‘qualquer tentativa de organizar atos não autorizados, cujos organizadores responderão perante a lei’.

Alguns opositores já advertiram que se nas eleições presidenciais for repetida a fraude que de acordo com eles aconteceu nas parlamentares de dezembro, lançarão uma campanha de desobediência civil com protestos indefinidos em escala nacional.

Sobre isso, o prefeito de Moscou, Sergei Sobianin, advertiu na quinta-feira que não permitirá a repetição da Revolução Laranja de 2004 na Ucrânia, na qual os opositores acamparam na Praça da Independência de Kiev para denunciar uma fraude até que conseguiram a repetição das eleições presidenciais.

Enquanto o principal movimento opositor da Rússia, que convocou as grandes manifestações que percorreram todo o país em dezembro e fevereiro, sairá na próxima segunda-feira para uma manifestação autorizada pela Prefeitura de Moscou, outros setores mais radicais anunciaram atos não autorizados.

O Ministério do Interior, no entanto, teme que alguns líderes da manifestação autorizada ‘planejem organizar uma manifestação não autorizada pelas principais ruas da capital’.

‘Além disso, segundo nossas informações, os organizadores da manifestação estão criando grupos para provocar e enfrentar as forças da ordem e os representantes de outros movimentos que participam de atos autorizados’, disse o porta-voz ministerial.

Alexei Navalni, um dos líderes mais populares da oposição não parlamentar, escreveu nesta sexta-feira em sua conta no Twitter que ‘todos os que desejarem poderão marchar tranquila e pacificamente com direção à Praça Manezh depois do comício (autorizado) na Praça Púshkinskaya’.

Manezh, na frente do Kremlin, é um lugar vetado para a oposição, e a Prefeitura de Moscou deixou claro na quinta-feira ao advertir que fechará ao tráfego algumas das ruas divisórias para impedir que alguém se manifeste neste símbolo no coração da capital. EFE