Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Militares venezuelanos apreendem gaze e soro enviados por brasileiros

Médicos têm usado ambulâncias que cruzam a fronteira para transportar medicamentos e insumos básicos para ajudar no tratamento de feridos

Militares da Guarda Nacional Bolivariana apreenderam neste domingo, 24, pacotes de gaze e soro enviados por médicos brasileiros. A ação ocorreu no retorno da ambulância que trouxe feridos da cidade de Santa Elena de Uairén, na Venezuela, para o hospital Delio Tupinambá em Pacaraima, Roraima.

Diante da proibição do envio de remédios do Brasil para a Venezuela, médicos dos dois países se uniram em uma alternativa: a cada vez que a única ambulância de Santa Elena cruza a fronteira e chega a Pacaraima com feridos, retorna para Venezuela levando uma pequena quantidade de medicamentos.

Anti-inflamatórios e antibióticos já foram enviados para o hospital venezuelano mais próximo, em Santa Elena, onde há dezenas de pessoas feridas.

Ambulâncias do SAMU em Pacaraima, Roraima

Ambulâncias do SAMU em Pacaraima, Roraima (Rodrigo Salles/VEJA.com)

De acordo com o relato de médicos venezuelanos, as ambulâncias são revistadas quando retornam de Pacaraima. No domingo, um pacote grande de gaze e cerca de 10 litros de soro fisiológico foram apreendidos pelos militares.

“Mandamos esses insumos no sábado e, no domingo, os médicos da ambulância disseram que perderam o material. É triste, pois se eles já trouxessem os baleados no mínimo com as feridas limpas, já ajudaria nosso trabalho”, explicou Alshedsson de Jesus, diretor do hospital de Pacaraima.

Alshedsson de Jesus

Alshedsson de Jesus (Rodrigo Salles/VEJA.com)

Desde a última quinta-feira 21, 22 venezuelanos deram entrada no hospital brasileiro. Só no domingo, o hospital atendeu nove pessoas feridas por arma de fogo, todas já transferidas para Boa Vista, capital de Roraima.

O governador Antônio Denarium anunciou que decretará estado de calamidade na saúde pública de Roraima após o agravamento dos conflitos na Venezuela.

“Nós já estávamos com a situação crítica na saúde aqui no estado de Roraima e, com a onda de violência na Venezuela, essa crise se agravou mais ainda”, afirmou em coletiva de imprensa no domingo. O decreto já foi assinado e deverá ser publicado na edição desta segunda-feira, dia 25, do Diário Oficial do estado.