Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Miliciano afegão mata 9 companheiros e foge

Por Da Redação 30 mar 2012, 09h04

Cabul, 30 mar (EFE).- Um agente da polícia local afegã, supostamente envolvido com a insurgência, matou nove de seus companheiros na província de Paktika, informaram nesta sexta-feira fontes oficiais e dos talibãs.

Um porta-voz provincial, Mukhles Afghan, disse à Agência Efe que o membro das milícias locais – recrutadas por Cabul para atuarem como agentes policiais – conseguiu fugir após matar seus companheiros pouco depois de meia-noite (horário local) no distrito de Yhaya Khel.

As forças de segurança detiveram outros dois membros da milícia local, mas o autor dos disparos conseguiu escapar, acrescentou o porta-voz da província.

Segundo outra fonte do governo citada pela agência local ‘AIP’, o autor dos disparos tem vínculos com a insurgência local, o que, no entanto, não foi confirmado pelo porta-voz.

Os talibãs reivindicaram o ataque por meio de um comunicado em seu site, e informaram que o agressor, identificado como Sanaullah, estava infiltrado na milícia pró-governamental.

‘Após o ataque contra as ‘marionetes’ (denominação talibã para as forças de segurança e as milícias favoráveis ao governo), ele fugiu com um veículo policial com armas e munição’, indicou o texto.

Apesar de seu apoio ao Executivo afegão, as milícias locais deram uma dor de cabeça a Cabul pelas constantes denúncias feitas contra seus agentes, que escapam do controle das autoridades.

Há seis meses, a ONG Human Rights Watch (HRW) denunciou em um relatório que as milícias e os corpos de polícia locais, auxiliados pelo governo afegão e o apoio dos Estados Unidos, cometeram ‘sérios crimes’ com impunidade.

‘O governo afegão respondeu à insurgência reativando as milícias, que ameaçam as vidas dos afegãos’, segundo a HRW, que acusou o Executivo de não fazer ‘uma supervisão adequada’ de suas ações. EFE

Continua após a publicidade
Publicidade