Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Milhares marcham em Moscou para repudiar aniversário da revolução ucraniana

35.000 pessoas protestaram na capital russa para condenar golpe de Estado que derrubou o então presidente da Ucrânia há um ano

Por Da Redação 21 fev 2015, 11h27

Cerca de 35.000 pessoas percorreram o centro de Moscou, na Rússia, neste sábado, em uma marcha para condenar a revolução que derrubou o então presidente da Ucrânia Viktor Yanukovich há exatamente um ano. Os manifestantes, convocados por uma centena de organizações sociais, levaram bandeiras da Rússia e cartazes com palavras de ordem contra uma revolução que muitos russos, inclusive autoridades com o presidente Vladimir Putin, qualificam como golpe de Estado. O protesto terminou com um comício na praça da Revolução na capital russa, próximo ao Kremlin.

Há um ano, entre os dias 18 e 20 de fevereiro de 2014, após três meses de grandes protestos contra o regime de Yanukovich, o centro de Kiev explodiu em sangrentos distúrbios que causaram a morte de mais de cem pessoas, entre manifestantes e policiais. Dois dias mais tarde, Yanukovich foi deposto do cargo pelo parlamento ucraniano. Ao constatar que Yanukovich tinha fugido de Kiev na madrugada de 22 de fevereiro, o parlamento o acusou de abandono de funções.

Leia também:

Kiev e separatistas afirmam que retiraram tropas de Debaltseve

EUA acusam Rússia de violar o acordo de paz na Ucrânia

O ex-presidente ucraniano fugiu para a Rússia, onde permanece refugiado até agora, apesar de a Interpol ter expedido uma ordem de busca internacional contra ele por uma série de delitos financeiros dos quais é acusado em seu país.

Pouco depois da reviravolta de poder em Kiev, as novas autoridades ucranianas pediram ao Tribunal Penal Internacional, com sede em Haia, que processasse Yanukovich por crimes contra a humanidade por responsabilidade na repressão das manifestações.

(Com EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade