Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

Milhares de pessoas estão desalojadas após o terremoto

O prefeito de Accumoli explicou que em sua cidade não há nem uma casa na qual se possa entrar e comentou que a temperatura chegou a 10º durante a noite

Por Da redação Atualizado em 24 ago 2016, 12h22 - Publicado em 24 ago 2016, 11h41

A Defesa Civil da Itália está instalando acampamentos com tendas, cozinhas e banheiros móveis, e está preparando escolas e ginásios para alojar milhares de pessoas que terão de passar a noite fora de suas casas após o terremoto que devastou várias localidades do centro de Itália.

Por enquanto, estão sendo montadas tendas de campanha nas localidades de Pescara e de Arquata del Tronto para acolher as pessoas que ficaram sem casa na região de Pescara del Tronto, uma das mais atingidas. Em Arquata del Tronto já estão sendo distribuídas refeições quentes para os que tiveram que sair às pressas de suas casas durante a madrugada.

Também estão sendo montados acampamentos nas localidades de Accumoli e Amatrice, na província de Rieti, no Lácio, e que poderão abrigar, por enquanto, cerca de 500 pessoas, informou uma das porta-vozes da Defesa Civil, Titti Postiglione. Além disso, foram instaladas 250 camas em uma escola da cidade próxima de Cittaducale.

Leia também
Forte terremoto no centro da Itália deixa ao menos 70 mortos
Papa Francisco pede orações para as vítimas de terremoto
Imagens mostram a destruição causada pelo tremor

Turistas — O prefeito de Accumoli, Stefano Petrucci, explicou que em sua cidade não há nem uma casa na qual se possa entrar e comentou que a temperatura chegou a dez graus durante a noite, apesar de ser verão na Europa. No total, Petrucci explicou que em sua cidade há 2.500 pessoas, muitas delas turistas, durante esta época do ano, que estão desalojadas.

Continua após a publicidade

Na mesma situação se encontra Amatrice, uma cidade na qual vivem 2.000 pessoas, mas que costuma dobrar de tamanho devido aos muitos visitantes durante o verão europeu. Alguns dos turistas estão voltando para suas casas, mas os residentes precisam de um lugar seguro para passar a noite.

A Cruz Vermelha italiana informou que 150 voluntários se transferiram para a região atingida pelo tremor e que também foram enviados alimentos, enquanto estudam mandar apoio psicológico para os atingidos. Em toda a região afetada estão acontecendo réplicas com magnitudes entre 4 e 5, o que dificulta o trabalho das pessoas que participam do resgate.

Por enquanto, o balanço é de pelo menos 73 mortos, e dezenas de pessoas seguem desaparecidas por causa do terremoto que aconteceu às 3h36 locais (22h36 de Brasília da terça-feira).

Local do epicentro do tremor (em vermelho) e cidades mais afetadas. Clique nos pontos para informações

[googlemaps https://www.google.com/maps/d/embed?mid=11Bgrvf_rbxoTrwe-lwNlgOyOV3M&w=640&h=480%5D

(Com agência EFE)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)