Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Milhares de pessoas protestam contra Trump em Londres

Cidadãos com cartazes, máscaras e perucas reprovaram as políticas "divisórias" do presidente dos Estados Unidos

Donald Trump não é bem-vindo aqui” foi o grito mais repetido nesta terça-feira, 4, nas ruas do centro de Londres, onde dezenas de milhares de pessoas se reuniram para enviar uma mensagem de repúdio à visita de Estado do presidente dos Estados Unidos ao Reino Unido.

Cidadãos com cartazes, máscaras e perucas reprovavam as políticas “divisórias”, o “fanatismo” e a “estreiteza de alvos” de Trump na região da Trafalgar Square, no centro da capital.

“Volte para a sua casa”, “mentiroso” e “vá se f…, Trump”, foram alguns dos cartazes levantados pelos manifestantes, que também contou com balão “Baby Trump”, uma caricatura do presidente americano como bebê.

O balão de seis metros que representa o presidente americano de fralda e com um celular na mão foi usado pela primeira vez em julho de 2018. Na ocasião, Trump afirmou que a caricatura o deixava “desconfortável”.

A Trafalgar Square foi o ponto de partida de uma grande passeata pela rua Whitehall – onde ficam os prédios dos órgãos públicos – até perto de Downing Street – a residência e escritório oficial de Theresa May -, onde Trump e a primeira-ministra britânica se reuniam.

Como estava previsto, o líder do opositor Partido Trabalhista, Jeremy Corbyn, discursou diante dos manifestantes e pediu para Trump “refletir sobre um mundo que busque a paz e o desarmamento, que derrote o racismo e a misoginia”. Corbyn ainda lembrou que o protesto representa “a diversidade e a inclusão”.

Entre os britânicos, Trump é um dos líderes estrangeiros mais conhecidos e menos queridos. Só 21% das pessoas entrevistadas pela empresa YouGov têm uma “opinião positiva” a seu respeito, e entre as mulheres esta cifra encolhe para 14%.

Entre as muitas mensagens expressadas no protesto, ativistas denunciaram que Trump “está ofendendo muçulmanos, mexicanos, imigrantes, a comunidade LGBT e as mulheres”, segundo ressaltou a jovem londrina muçulmana Fariah.

Por sua vez, um dos ativistas, representante da organização “Stand up to racism” (Resista ao racismo, em português), afirmou que o atual presidente americano é “racista, intolerante”, age “contra as mulheres” e “propaga o ódio”.

O tom do protesto foi dado por uma grande estátua que mostrou Trump em um banheiro dourado com as calças nos tornozelos. Enquanto usa o Twitter, o boneco repete “fake news” e “sou um gênio muito equilibrado”.

Coincidentemente, Donald Trump classificou como fake news o grande protesto realizado em Londres. Em entrevista coletiva conjunta com a primeira-ministra britânica, o presidente americano disse que tanto ontem como hoje viu como “milhares de pessoas” o apoiam pelas ruas da capital.

Trump comentou que só viu nesta terça-feira “um pequeno protesto” contra ele, ao contrário do que foi publicado pela imprensa.

Sobre as palavras de Corbyn, o americano disse considerá-lo “uma força negativa”. Trump também admitiu que recusou um convite para se reunir com o líder trabalhista, a quem não conhece pessoalmente.

Encontro com líder do Partido do Brexit

O líder do Partido do Brexit, Nigel Farage, revelou que se reuniu com Donald Trump nesta terça. “Boa reunião com o presidente Trump”, afirmou no Twitter o líder do partido eurofóbico.

A reunião aconteceu na residência do embaixador americano na capital britânica, onde o presidente dos Estados Unidos está hospedado.

Farage, que ganhou as últimas eleições ao Parlamento Europeu no Reino Unido com 32% dos votos, ressaltou que Trump “acredita no Brexit” e que está “encantado com sua viagem a Londres”.

“Foi uma reunião particular, mas o que posso dizer é que ele estava em plena forma, exuberante. Acredita totalmente no Brexit e acha que é o melhor que este país pode fazer. Obviamente, está preocupado porque está demorando muito tempo”, disse à rádio LBC.

Nesta manhã, Trump teve uma conversa por telefone com o ex-ministro das Relações Exteriores, Boris Johnson. O político conservador foi convidado pelo americano para um encontro pessoalmente, mas recusou a oferta, segundo revelaram meios de comunicação britânicos.

Antes de iniciar a visita de três dias a Londres, Trump elogiou Farage e Johnson, dois dos políticos britânicos que defendem a saída do Reino Unido da União Europeia (UE) sem um acordo com os países do bloco. O ex-chanceler também é um dos principais candidatos ao cargo de novo premiê braitânico, após a renúncia de Theresa May na sexta-feira, 7.

“Nigel Farage é meu amigo. Boris é meu amigo. Os dois são bons meninos, pessoas muito interessantes”, disse Trump.

A viagem de Estado do presidente americano começou na segunda-feira e terminará amanhã, quando será realizada uma cerimônia para comemorar o 75º aniversário do Desembarque e da Batalha da Normandia, em Portsmouth, no sul da Inglaterra.

(Com EFE e Reuters)