Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Milhares de motoristas desfilam em Washington em homenagem a veteranos

Por Da Redação - 27 maio 2012, 18h51

Washington, 27 mai (EFE).- Centenas de milhares de motoristas se reuniram neste domingo em Washington no ‘Rolling Thunder’, um tradicional desfile em homenagem aos americanos caídos em combate e que em seu 25ª edição esteve dedicado especialmente aos veteranos da Guerra do Vietnã.

Neste ano os atos do Memorial Day marcam o início das comemorações do 50º aniversário do fim desse conflito, que terminou em 1975 com um balanço de mais de 58 mil militares americanos mortos e 304 mil feridos.

O ‘Rolling Thunder’, chamado assim pela operação de bombardeios que os Estados Unidos lançaram a partir de 1965 sobre o Vietnã, nasceu em 1987 quando quatro veteranos dessa guerra convocaram seus companheiros para lembrar os mortos em combate.

Este pequeno grupo de motoristas passou para os 400 mil que participaram do desfile de hoje, segundo os organizadores, e a homenagem terminou por estender-se aos veteranos de todas as guerras das quais os EUA participaram.

Publicidade

O ritual é sempre o mesmo. Os motoristas, a maioria ex-combatentes do Vietnã em suas Harley Davison, se reúnem horas antes em uma grande esplanada na frente do edifício do Pentágono, na Virgínia.

Dali cruzam a Memorial Bridge, que une o cemitério de Arlington com Washington, e terminam seu percurso no Mall, onde milhares de pessoas recebem os motoristas com bandeiras e aplausos.

Depois da carreata começa a peregrinação até o muro inaugurado em 1982 em memória dos veteranos do Vietnã, no qual estão gravados os nomes de todos os falecidos nesse conflito.

O presidente dos EUA, Barack Obama, honrou na sexta-feira os veteranos da Guerra do Vietnã com uma proclamação com a qual deu início às comemorações do 50º aniversário do fim desse conflito.

Publicidade

Em 2025 se completarão 50 anos do fim da Guerra do Vietnã e desde agora o governo americano iniciará um programa de 13 anos de duração, em associação com autoridades estatais e locais e organizações privadas, para honrar os que serviram ‘em uma das missões mais difíceis que enfrentamos’, explicou a Casa Branca.

‘Prestamos homenagem aos mais de três milhões de homens e mulheres militares que deixaram suas famílias para servir com valor longe de tudo o que conheciam e de todos que amavam’, declarou Obama.

O presidente e a primeira-dama, Michelle Obama, participarão nesta segunda-feira de uma cerimônia no cemitério de Arlington, inaugurado em 1864 e que abriga mais de 300 mil túmulos com os corpos de soldados americanos mortos em combate. EFE

Publicidade