Clique e assine com até 92% de desconto

Michelle Obama abre convenção democrata e critica Trump: ‘Falta empatia’

Evento que oficializará candidatura de Joe Biden prega união do partido contra a reeleição do atual presidente dos EUA

Por Julia Braun Atualizado em 18 ago 2020, 09h53 - Publicado em 18 ago 2020, 09h15

A convenção nacional do Partido Democrata, que vai oficializar a candidatura do ex-vice-presidente Joe Biden à Presidência dos Estados Unidos para as eleições de novembro, começou nesta segunda-feira 17 por videoconferência. Em um dos mais esperados discursos da noite, a ex-primeira-dama Michelle Obama pregou a união dos democratas contra Donald Trump e lamentou a “total falta de empatia” do republicano.

“Sempre que olhamos para essa Casa Branca em busca de liderança, conforto ou alguma aparência de estabilidade, o que obtemos é caos, divisão e uma total e absoluta falta de empatia”, disse a mulher do ex-presidente Barack Obama em um vídeo gravado. “Trump é o presidente errado para nosso país”, acrescentou.

Em seu discurso de 18 minutos, Michelle ainda tentou apelar para a consciência dos americanos e se posicionou como mãe, que deseja um futuro melhor para suas filhas. A ex-primeira-dama também afirmou ter visto de perto “o imenso peso e poder” de ser presidente dos Estados Unidos, e argumentou que Joe Biden é a pessoa certa para exercer esse papel.

A agenda da primeira noite da convenção também teve como destaque o discurso do senador Bernie Sanders, que disputou a candidatura com Biden, e com cuja participação o partido pretende mostrar união. “Meus amigos, digo a vocês, a todos que apoiaram outros candidatos nas primárias e aos que podem ter votado em Donald Trump. O futuro da nossa democracia está em jogo. O futuro da nossa economia está em jogo. O futuro do nosso planeta está em jogo”, disse.

A abertura da convenção foi feita pela atriz Eva Longoria. “A cada quatro anos nos reunimos para reafirmar nossa democracia. Neste ano viemos para salvá-la”, disse.

Continua após a publicidade
  • O irmão de George Floyd – o homem cuja morte desencadeou uma onda de protestos raciais no país – também participou da convenção neste primeiro dia. A prefeita de Washington, Muriel Bowser, e o influente congressista James Clyburn estão na pauta da convenção para falarem sobre justiça racial.

    O partido também mostrou o combate de alguns de seus políticos ao coronavírus, com ênfase ao trabalho dos governadores de Nova York e Michigan, Andrew Cuomo e Gretchen Whitmer, que têm tido postura combativa em relação às ações do presidente Donald Trump em relação à pandemia.

    Kristin Urquiza, uma jovem de origem latina que mora no estado do Arizona e perdeu o pai em junho para a Covid-19 – uma morte que ela atribui aos líderes republicanos do estado – também fez um discurso.

    Além disso, os democratas reservaram um espaço de destaque nesta segunda-feira para os republicanos que se voltaram contra Trump, como os ex-governadores Christine Whitman (Nova Jersey) e John Kasich (Ohio) e a ex-congressista Susan Molinari (Nova York), na esperança de convencer outros eleitores do partido do presidente a apoiarem Biden.

    (Com EFE e AFP)

    Continua após a publicidade
    Publicidade