Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Mianmar: Hillary adverte Suu Kyi que democracia não é fácil

Por Soe Than Win - 9 abr 2012, 22h04

A secretária de Estado americana, Hillary Clinton, advertiu nesta segunda-feira a líder democrata de Mianmar, Aung San Suu Kyi, que fará parte do Parlamento de seu país, que a democracia não é fácil.

Hillary, ex-primeira-dama (1993-2001), senadora e candidata presidencial em 2008, citou Suu Kyi na estreia americana do filme “The Lady,” uma biografia da vencedora do prêmio Nobel da paz, dirigido pelo francês Luc Besson.

“Disse a ela durante uma de nossas últimas conversas por telefone que está se transformando de um ícone para uma figura política. Tendo feito de alguma forma o mesmo caminho, sei que não é fácil”, disse Hillary.

“Quem vai ao Parlamento deve firmar compromissos, que é do que se trata a democracia”, disse Hillary na exibição, realizada na sede da Motion Picture Association of America.

Publicidade

Hillary declarou que disse a Suu Kyi que deverá “trabalhar com outras pessoas, com alguma das quais discordará profundamente”.

A líder da oposição de Mianmar, Aung San Suu Kyi, eleita deputada nas últimas eleições parciais, ocupará pela primeira vez uma cadeira na câmara baixa do Parlamento, em 23 de abril.

Suu Kyi passou 15 dos 20 últimos anos sob prisão domiciliar, mas foi convidado a voltar à vida política legal pelo regime do presidente e ex-general Thein Sein, no poder há um ano.

Publicidade