Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

México quer ouvir Sean Penn sobre reunião com “El Chapo”

Fontes ligadas ao governo mexicano dizem não estar claro se Penn e a atriz mexicana que o ajudou no contato com o traficante cometeram crimes

A recaptura ao estilo hollywoodiano do narcotraficante mexicano Joaquín “El Chapo” Guzmán ganhou mais um capítulo neste domingo, com a notícia de que as autoridades mexicanas desejam interrogar o ator americano Sean Penn sobre seu encontro clandestino com o criminoso. Uma fonte do governo federal disse à agência France Presse que a Procuradoria deseja falar com Penn e a atriz mexicana Kate del Castillo sobre a reunião que tiveram com Guzmán em outubro, três meses antes de sua recaptura.

“A informação é correta, claro, é para estabelecer responsabilidades”, disse a fonte, sob anonimato, depois de a revista Rolling Stone ter publicado ontem em seu site a entrevista concedida ao ator por “El Chapo”, graças à ajuda de Kate. A atriz, que atuou como uma líder do narcotráfico na série televisiva A rainha do sul, estava havia vários anos em contato com Guzmán, trocando mensagens de texto e cartas, segundo o ator. Uma segunda fonte do governo federal disse à AFP que não está claro se os atores teriam cometido um crime, pois um repórter pode entrevistar um suposto traficante, mas Penn e Kate não são jornalistas.

Mais cedo, uma fonte do governo mexicano afirmou à agência de notícias que os encontros ajudaram as autoridades a localizar o narcotraficante de 58 anos, que foi recapturado na sexta-feira em Los Mochis, Sinaloa, noroeste do México, em uma operação militar. Segundo a procuradora-geral mexicana, Arely Gómez, afirmou na sexta-feira, o traficante teve reuniões com atrizes e produtores, cujos nomes não revelou, com a intenção de produzir um filme sobre sua vida. “Estes encontros constituem uma nova linha de investigação”, disse Gómez.

LEIA TAMBÉM:

Entrevista a Sean Penn ajudou a colocar ‘El Chapo’ de volta na cadeia

Joaquín “El Chapo” Guzmán enfrentará processo de extradição aos EUA

Mike Vigil, ex-diretor de operações internacionais da agência de combate às drogas americana, a DEA, entretanto, descarta a possibilidade de Penn ser acusado. “Duvido seriamente que sejam apresentadas acusações contra eles, apesar de Sean Penn ter adotado medidas extraordinárias para que seu telefone não fosse rastreado”, disse Vigil.

Neste domingo, o chefe gabinete da Casa Branca, Denis McDonough, afirmou que durante a entrevista com Penn, “El Chapo” Guzmán se gabou “das grandes quantidades de heroína que distribuiu por todo o planeta, incluindo os Estados Unidos”, o que “irritou” a presidência americana. “Isto provoca muitas perguntas interessantes sobre ele e outros envolvidos nesta suposta entrevista. Vamos ver o que acontece”, disse McDonough.

Entre os detalhes do encontro entre Penn e Guzmán publicados ontem pela Rolling Stone, está uma fotografia de 2 de outubro, que mostra o ator apertando a mão do líder do cartel de Sinaloa.

Joaquin Guzmán enfrentará um processo de extradição para os Estados Unidos.

(com Agência France Presse)