Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Menino de 14 anos é acusado de atividade terrorista

O adolescente é suspeito de encorajar um homem a cometer um atentado durante uma parada comemorativa na Austrália

Por Da Redação 24 abr 2015, 19h33

Um adolescente de 14 anos será levado a julgamento na Inglaterra por suposto envolvimento em um ataque terrorista na Austrália. Ele é acusado de encorajar um homem a cometer um atentado durante uma parada comemorativa em Melbourne e de incitar outro a decapitar uma pessoa.

O jovem foi detido na semana passada por envolvimento em um suposto complô inspirado pelo grupo terrorista Estado Islâmico durante as comemorações do dia de Anzac, que homenageia os soldados australianos e neozelandezes que lutaram na batalha de Gallipoli (Turquia), durante a I Guerra Mundial. Ele foi considerado suspeito após “o exame de dispositivos eletrônicos”, informou a polícia de Manchester.

Leia também:

Polícia italiana prende terroristas que planejaram ataque ao Vaticano

Polícia prende suspeito de planejar ‘iminente’ ataque terrorista em Paris

Segundo a promotora responsável pelo caso, Rebecca Ledwidge, o adolescente é acusado de encorajar um homem de 18 anos a realizar um ataque com faca, arma ou carro contra policiais no evento. Ela acrescentou que, apesar de sua idade, o réu deve ser julgado pelo Tribunal da Coroa, responsável pelos processos penais graves na Inglaterra, em setembro. “Descobrimos uma ligação entre uma pessoa no noroeste (da Inglaterra) e um homem na Austrália, achamos que é uma ameaça terrorista crível”, informou a polícia. “Assim que a descobrimos a ameaça, atuamos rapidamente com as autoridades competentes aqui e no exterior”.

Buscam em Melbourne levaram a detenção de cinco adolescentes suspeitos de organizarem o atentado na parada, entre eles o jovem de 18 anos, Sevdet Besim. As prisões levaram a uma revisão na segurança dos eventos do dia de Anzac, também comemorado na Grã-Bretanha. Segundo as autoridades britânicas, não há ameaça terrorista contra o país europeu.

(Da redação)

Continua após a publicidade
Publicidade