Clique e assine a partir de 9,90/mês

Menino de 12 anos vai estudar em universidade de ponta

O prodígio Jeremy Shuler é o estudante mais novo a ser aceito na Cornell, uma das faculdades da Ivy League americana

Por Da redação - 16 ago 2016, 12h59

O americano Jeremy Shuler, de 12 anos, começará as aulas no fim de agosto em um lugar incomum para outros meninos de sua idade: a Universidade Cornell, em Nova York. Antes de chegar à adolescência, o prodígio foi aceito em uma das oito instituições de ensino mais prestigiadas do Estados Unidos, que formam o seleto grupo conhecido como Ivy League.

A nova conquista acadêmica de Jeremy é apenas mais uma das metas que ele atingiu antes do tempo esperado. Aos 6 meses começou a falar e aos 2 anos já lia sozinho em inglês e coreano, a língua nativa de sua mãe. Foi nessa época que sua família percebeu que não seria suficiente matriculá-lo no jardim de infância e decidiu educar Jeremy em casa, já que nem as escolas para superdotados supriam seu desejo de aprender.

Por influência dos pais, Harrey e Jeremy Shuler, ambos engenheiros, o menino logo começou a se interessar por matemática e já estudava pré-cálculo aos 5 anos. Agora, por escolha própria, irá cursar a graduação em Engenharia Física e Matemática e será o aluno mais novo a estudar na Cornell desde sua fundação, em 1865.

Leia também:
Menino de 10 anos morre em acidente no maior toboágua do mundo
Menino de 6 anos liga para a polícia: ‘Meu pai passou no sinal vermelho!’
Calma e muita sorte: como um garoto de 7 anos sobreviveu sozinho em floresta no Japão

A experiência de Jeremy na faculdade, porém, será um pouco diferente da que seus colegas viverão. Como ele é muito novo para ficar sozinho nos dormitórios da universidade, seu pais se mudaram do Texas para Nova Iorque para que o menino possa ir às aulas e morar com a família. Harrey, sua mãe, também vai acompanhá-lo pelo campus na primeira semana de aulas e ajudará o menino a se adaptar.

Continua após a publicidade

Animado, o pequeno prodígio não se assusta com o desafio de estudar com colegas mais velhos ou de frequentar disciplinas avançadas. “Eu acho que vou adorar estudar na Cornell. Tenho me preparado para a faculdade há bastante tempo”, contou Jeremy ao jornal The Washington Post. “Vai ser uma mudança, mas eu gosto disso!”

Publicidade