Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Menina paquistanesa fica em estado grave após estupro

Criança de nove anos foi raptada na quarta-feira e violentada por 3 homens

Por Da Redação 4 jan 2013, 08h07

Uma menina de nove anos está em estado grave após ter sido raptada e violentada por três homens na província de Punjab, no leste do Paquistão, informou nesta sexta-feira o jornal paquistanês Express Tribune. A criança foi levada na quarta-feira por três mulheres e um homem em frente a sua casa na cidade de Manzoorabad, no distrito meridional de Rahim Yar Khan, e levada em seguida a um acampamento, onde foi estuprada por três homens.

Leia também:

Leia também: Três meses após ataque, Malala deixa hospital britânico

A mãe da menina explicou à polícia que encontrou a filha em frente a sua casa machucada, coberta de sangue e semi-inconsciente e que, quando se dirigia à delegacia para denunciar o caso, um dos estupradores a impediu e ameaçou matá-la se dissesse algo. Após ir para casa, no entanto, a mulher voltou à delegacia e narrou os fatos à polícia, que montou uma equipe para prender os suspeitos, que até o momento não foram encontrados.

A menina de nove anos foi transferida ao hospital Sheik Zayed da cidade de Lahore, onde os médicos confirmaram o abuso e afirmaram que o estado da menor é crítico por causa de lesões internas e por ter perdido muito sangue.

Continua após a publicidade

Histórico – A Fundação Awaz do Paquistão revelou em um relatório que de janeiro de 2012 até novembro do mesmo ano foram registrados 2.713 casos de abusos sexuais nos 15 distritos meridionais da província do Punjab, entre os quais está Rahim Yar Khan.

Saiba mais:

Saiba mais: Paquistão inocenta homens acusados de estupro coletivo

O jornal Express Tribune realizou um estudo sobre os 150 casos de estupro que o veículo noticiou em 2012. A análise, sob o título ‘A vergonha do Paquistão’, lista vários casos de estupro de menores de 5 a 15 anos, assim como os chamados crimes de ‘honra’.

(Com agência EFE)

Continua após a publicidade

Publicidade