Clique e assine com até 92% de desconto

Membros de equipe de vacinação contra pólio são assassinados no Paquistão

Homens abriram fogo contra veículo na cidade de Quetta; país registra maior número de casos da doença no mundo

Por Da Redação 26 nov 2014, 09h00

Três mulheres que faziam parte de uma equipe que luta contra a poliomielite foram assassinadas nesta quarta-feira quando participavam de uma campanha de vacinação na cidade de Quetta, no oeste do Paquistão. O motorista que transportava a equipe também morreu. Outras duas pessoas ficaram feridas.

Dois homens a bordo de uma motocicleta abriram fogo contra o carro em que viajava a equipe de saúde às 9h30 local (1h30, em Brasília) e fugiram após o ataque, disse o porta-voz policial Akram Yaar. Dois civis que estavam nas imediações ficaram feridos e foram levados a um hospital.

Leia também:

OMS faz reunião de emergência para discutir propagação de poliomielite

Síria poderá sofrer com surto de poliomielite

O governo local lançou no começo do mês uma campanha contra a pólio em 11 distritos na província de Baluquistão, da qual Quetta é a capital. A intenção é vacinar 238.000 crianças menores de cinco anos.

O Paquistão registrou 246 casos de pólio em 2014, o equivalente a 84% dos casos registrados em todo o mundo ao longo do ano, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Em 2013 foram 93 casos.

Ataques armados contra agentes de saúde no Paquistão costumam ser feitos por grupos fundamentalistas e nos últimos anos se tornaram bastante comuns na região, o que fez os casos de várias doenças dispararem. Fundamentalistas alegam que a campanha contra a pólio faz parte de um complô ocidental para esterilizar os muçulmanos e dizem que os vacinadores trabalham como espiões para a CIA.

(Com agência Reuters)

Continua após a publicidade
Publicidade