Clique e assine a partir de 9,90/mês

Meles Zenawi, primeiro-ministro etíope, morre aos 57 anos

Ele estava afastado da atividade política. A causa da morte não foi revelada

Por Da Redação - 21 ago 2012, 03h34

O primeiro-ministro etíope, Meles Zenawi, um dos políticos mais influentes da África chamado de “o último imperador da Etiópia”, morreu aos 57 anos de idade, informou nesta terça-feira a televisão estatal etíope. Zenawi, que nos últimos meses se distanciara da vida pública por conta de uma doença, morreu no início da madrugada, indicou a emissora estatal ao ler um comunicado do Conselho de Ministros. A causa da morte não foi revelada.

Segundo o texto, o vice-primeiro-ministro e titular da pasta de Relações Exteriores, Hailemariam Desalegn, irá liderar interinamente o Conselho de Ministros e o governo manterá seus compromissos continentais e internacionais.

‘Esgotamento’ – Em julho passado, o ministro da Comunicação etíope, Simon Bereket, indicara que Zenawi se recuperava de uma doença causada pelo “esgotamento”. “Ele tem alguns problemas de saúde que requerem atendimento médico. Neste momento, seu estado de saúde é muito bom e estável”, disse Bereket na época.

O ministro se dirigiu à imprensa depois de terem circulado versões indicando que o líder etíope estaria internado em situação crítica em um hospital de Bruxelas. Os rumores sobre a saúde de Zenawi ganharam força devido à sua ausência na 19ª Sessão Ordinária da Assembleia de Chefes de Estado e de Governo da União africana (UA), da qual era anfitrião em Adis-Abeba em julho passado.

O premiê dirigia a Etiópia há 21 anos com mão de ferro. Em 1991, ele assumiu o poder à frente de uma guerrilha que derrubou o regime do ditador Mengistu Haile Mariam, líder da Junta Militar que controlou o país de 1974 a 1987 e, em seguida, presidente etíope. Aliado do Ocidente na luta contra o terrorismo, Zenawi ocupou a Presidência de 1991 a 1995, ano a partir do qual exerceu a função de primeiro-ministro.

(Com agência EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade