Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Melania Trump processa jornal por ‘mentiras’ sobre seu passado

Em reportagens, o britânico 'Daily Mail' afirmava que a mulher de Trump já havia trabalhado como 'acompanhante'

Melania Trump, mulher do candidato à presidência dos Estados Unidos pelo partido Republicano, Donald Trump, abriu um processo contra o jornal britânico Daily Mail e o blogueiro americano Webster Tarpley por difamação. Segundo seu advogado, os meios de comunicação publicaram mentiras sobre seu passado, que são “tremendamente prejudiciais para a sua reputação pessoal e profissional”.

Em uma nota, o advogado Charles Harder afirmou que o jornal e o blog publicaram matérias dizendo que a atual mulher do milionário americano já trabalhou como “acompanhante” na década de 90, antes de conhecer seu marido. O advogado pede uma indenização de 150 milhões de dólares (quase 490 milhões de reais) pelos danos causados à imagem de Melania.

O processo foi aberto em um tribunal de Montgomery, no estado de Maryland, Estados Unidos. Melania Trump, de 46 anos, nasceu na Eslovênia, e se mudou aos EUA para trabalhar como modelo na década de 90. Ela se casou com Donald Trump em 2005.

LEIA TAMBÉM:
Melania Trump ameaça processar jornais por difamação
Responsável pelo discurso de Melania Trump se desculpa por plágio
Mulher de Trump plagia discurso de Michelle Obama

As reportagens em questão foram publicadas pelo Daily Mail em agosto. Uma das matérias afirmava também que Melania chegou aos Estados Unidos um ano antes do que afirma, levantando dúvidas sobre sua situação com a imigração americana. A mulher negou às afirmações diversas vezes após a publicação do artigo, que já foi apagado do site do jornal britânico.

“Nós não tínhamos a intenção de afirmar ou sugerir que essas alegações eram verdadeiras”, afirmou a administração do jornal em uma nota. “Nem temos a intenção de afirmar ou sugerir que a Sra. Trump já trabalhou como ‘acompanhante’ ou no ‘negócio do sexo'”, acrescentou. O porta-voz do Daily Mail também disse que foram incluídas na reportagem declarações de um porta-voz de Melania e do proprietário da agência de modelos em questão negando as suposições sobre seu passado, afirmando que lamentava “qualquer má interpretação”.

Em seu blog, Webster Tarpley afirmava que muitas pessoas sabem que Melania não trabalhava como modelo na década de 90, mas sim como acompanhante.  O blogueiro também escreveu que a mulher do candidato à presidência temia que seu passado viesse à tona.