Clique e assine com até 92% de desconto

Medvedev adverte contra ‘provocadores’ na Rússia

Por Yuri Kochetkov 22 dez 2011, 06h40

A Rússia não aceitará interferências externas nem a “manipulação” de “provocadores e extremistas”, declarou nesta quinta-feira o presidente russo, Dimitri Medvedev, em seu discurso anual diante do Parlamento, ao se referir aos movimentos de protesto contra o resultado das eleições legislativas.

“O direito das pessoas de expressar sua opinião através de todos os meios legais está garantido, mas as tentativas de manipular os cidadãos russos, de induzi-los ao erro, de atiçar os conflitos são inaceitáveis”, afirmou Medvedev.

“Não deixaremos os provocadores e extremistas arrastarem a sociedade em suas aventuras. Não toleraremos tampouco a ingerência externa em nossos assuntos internos”, acrescentou o presidente russo, que anunciou ao mesmo tempo sua intenção de implementar uma reforma eleitoral.

“Proponho uma reforma completa de nosso sistema político”, disse Medvedev, cuja intenção é restaurar a eleição direta dos governadores das regiões e promover uma flexibilização das regras eleitorais.

“Ouvi o que falam da necessidade de mudanças. É preciso conceder a todos os cidadãos a possibilidade de participar na vida política”, disse Medvedev.

Continua após a publicidade
Publicidade