Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

May evita por pouco derrota no Parlamento para plano de Brexit

Opositores ao Brexit queriam contrariar premiê e garantir que Reino Unido pudesse continuar em união aduaneira com a UE

Por Da Redação Atualizado em 17 jul 2018, 21h40 - Publicado em 17 jul 2018, 21h18

A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, escapou por pouco de uma derrota no Parlamento nesta terça-feira (17), contendo uma rebelião que ameaçou agravar uma crise causada por sua estratégia para o Brexit, a desfiliação britânica da União Europeia.

Por 307 votos a 301, o Parlamento rejeitou uma emenda a uma legislação comercial que estipulava que, na falta de acordo com a UE sobre a criação de uma área de livre-comércio para os bens, que é um dos objetivos de May, o governo deveria tentar continuar em uma união aduaneira – algo contrário aos projetos da dirigente.

Apresentada por conservadores opositores ao Brexit, a emenda tinha recebido apoio de membros da oposição trabalhista, uma aliança que mostra as divisões que agitam a classe política britânica na questão da saída da União Europeia.

A vitória apertada é a terceira de May nesta semana, o que sublinha a dificuldade que ela enfrenta para aprovar leis ligadas a uma das decisões mais polarizadoras e importantes da história britânica moderna somente com um governo de minoria e um partido dividido internamente.

Continua após a publicidade

Ao vencer a votação desta terça-feira a premiê evitou o risco de ter que voltar atrás em sua promessa de que o país não será parte de nenhuma união alfandegária depois de deixar a UE – algo que teria enfurecido a ala pró-Brexit de sua sigla.

O projeto de lei sobre as relações comerciais foi aprovado pouco depois por 317 votos a favor e 286 contra e deverá ser examinado pelos Lordes, a Câmara Alta do Parlamento britânico.

O texto procura instaurar um marco normativo para facilitar a conversão dos acordos comerciais da UE em acordos bilaterais entre o Reino Unido e países terceiros. Concretamente, permitirá evitar qualquer lacuna jurídica quando o Brexit chegar e o Reino Unido recuperar plenos poderes em matéria comercial.

Mas o governo sofreu uma derrota inesperada em uma outra emenda, o que significa que agora terá que conseguir um acordo que permita ao Reino Unido continuar a participar do marco regulatório europeu de remédios.

O projeto de lei do comércio tem como foco converter acordos comerciais entre a UE e outros países em pactos bilaterais com o Reino Unido. Trata-se de um projeto de lei técnico, cujo objetivo inicial não era definir uma nova política comercial.

(Com Reuters e AFP)

Continua após a publicidade

Publicidade