Clique e assine a partir de 9,90/mês

Mau tempo impede resgate de passageiros de navio preso na Antártida

Autoridades australianas aguardam que o tempo melhore para retirar as 74 pessoas a bordo

Por Da Redação - 1 jan 2014, 11h50

Os fortes ventos e a chuva impediram nesta quarta-feira o resgate por helicóptero dos passageiros de uma embarcação russa presa no gelo na Antártida desde a véspera do Natal, informaram autoridades australianas. As 74 pessoas a bordo do navio celebraram o Ano Novo na expectativa do resgate, mas terão de esperar até que o tempo melhore. O navio Akademik Shokalskiy está preso no gelo desde o dia 24, poucos quilômetros a leste da base francesa de Dumont d’Urville.

Leia também:

Cientistas querem base científica na Antártida mais segura e transparente

Todas as tentativas para liberar a embarcação até o momento fracassaram, o que motivou o envio de um helicóptero para o resgate da tripulação. “A situação permanece a mesma”, lamentou a Autoridade Australiana de Segurança Marítima (AMSA). “O helicóptero não pode voar nas condições atuais. Há muita chuva e ventos na região.”

As autoridades australianas, que coordenam o resgate, planejam usar um helicóptero do quebra-gelo chinês Xue Long para retirar os 52 passageiros do navio, deixando a bordo apenas os 22 membros da tripulação. De acordo com a AMSA, a embarcação chinesa tenta “se mover e manobrar lentamente” para não acabar presa também ao gelo. O gelo ao redor da embarcação russa chega a três metros de espessura.

O plano de resgate é evacuar os ocupantes do navio em grupos de 12 pessoas assim que o tempo melhorar. O helicóptero transportará os passageiros ao Xue Long. De lá, eles serão transferidos para o Aurora Australis, que se encarregará de levá-los para a cidade de Hobart, no sul da Austrália, em cerca de duas semanas.

O navio russo, com cientistas e turistas a bordo, reproduz a expedição histórica à Antártida realizada há um século pelo explorador australiano Douglas Mawson. Durante a viagem, os pesquisadores repetem alguns experimentos científicos daquela expedição. A embarcação foi construída na Finlândia em 1982 e emitiu um pedido de socorro na véspera do Natal. Desde então, o mau tempo impediu as tentativas de resgate.

Embora o navio esteja preso no gelo, os tripulantes não correm perigo e têm provisões para passar até quatro semanas no local. Um dos líderes da expedição, Chris Turney, afirmou que recebeu 2014 com uma taça de vinho australiano e que a composição da música ajudou a manter o ânimo na embarcação.

(Com agências France Presse e EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade