Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Mau tempo dificulta resgate dos 467 passageiros de balsa incendiada entre Itália e Grécia

Por Da Redação 28 dez 2014, 07h52

O mau tempo está dificultando a operação de resgate dos 467 ocupantes da balsa italiana que pegou fogo, incêndio que ainda não está controlado, após partir da cidade grega de Patras para Ancona, na Itália. As condições climatológicas são extremamente adversas, com ventos que alcançam força 8 na escala de Beaufort, chuva e granizo, informou a guarda litorânea da Grécia.

Por isso, só 35 pessoas das 150 que foram retiradas em botes salva-vidas puderam ser levadas para uma das embarcações que participam do resgate. Passageiros que estão a bordo da nave afirmaram em ligações telefônica que as condições “são terríveis” pois as chamas já tomaram dois terços da embarcação, o que contradiz informações iniciais que indicavam que o fogo estava sob controle.

O fogo começou por volta das 4h (meia-noite em Brasília) por motivos ainda desconhecidos na garagem da embarcação Norman Atlantic, onde havia 222 veículos, a 45 milhas náuticas da ilha de Corfu e a 22 milhas do litoral italiano. Na operação de resgate participam sete embarcações privadas, uma fragata da armada grega e quatro lanchas da guarda litorânea, além de três helicópteros e dois aviões das forças aéreas grega e italiana.

A guarda litorânea italiana enviou três helicópteros e duas lanchas de supervisão ao lugar do fato. O ministro de Marinha Mercante da Grécia, Miltiadis Varvitsiotis, informou que o comando da operação de resgate é coordenado pelas autoridades italianas, com apoio da Grécia. Varvitsiotis destacou que se trata de uma operação de resgate muito difícl, devido às péssimas condições meteorológicas.

A porta-voz do governo, Sofgia Vultepsi, explicou que o primeiro- ministro, Antonis Samaras, está em permanente contato com seu colega italiano, Matteo Renzi. O barco tinha partido às 13h30 (de Brasília) de Patras com destino à Itália através de Igumenitsa, com 467 pessoas a bordo, 411 passageiros e 56 tripulantes.

(Com agênca EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade