Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Massacre por ‘bandidos armados’ deixa 47 mortos na Nigéria

Gangue saqueia três aldeias no estado de Katsina; pessoas que não entregaram suprimentos médicos de combate ao coronavírus foram mortas ou espancadas

Por Da Redação Atualizado em 26 mar 2021, 00h23 - Publicado em 20 abr 2020, 14h24

Um massacre deixou 47 pessoas mortas no estado de Katsina, na Nigéria, informou a polícia local. Três vilarejos foram alvos de ataques de “bandidos armados” com fuzis AK-47 na madrugada do sábado 18. Suspeita-se que a gangue esteja atrás de suprimentos dados às comunidades afetadas pela pandemia de coronavírus.

“Houve relatos de ataques organizados e simultâneos em aldeias em Danmusa, Dutsenma e Safana por grupos de bandidos armados”, disse o comunicado da polícia. “Destacamentos de polícia, Exército, Força Aérea, Defesa Civil e do Departamento de Serviços de Estado foram enviados à área”.

ASSINE VEJA

A perigosa nova direção do governo no combate ao coronavírus, as lições dos recuperados e o corrida por testes. Leia na edição desta semana.
Covid-19: Sem Mandetta, Bolsonaro faz mudança de risco nos planos A perigosa nova direção do governo no combate ao coronavírus, as lições dos recuperados e o corrida por testes. Leia na edição desta semana.
Clique e Assine

Segundo o jornal britânico The Guardian, centenas de bandidos invadiram os vilarejos em motocicletas. Residentes disseram que dezenas de pessoas ficaram gravemente feridas. O grupo permanece não identificado. Além disso, casas foram queimadas e objetos de valor, incluindo dinheiro e alimentos, foram levados pela gangue. Aqueles que se recusaram a entregar suprimentos médicos necessários para o isolamento, neste quadro de pandemia, e outros pertences foram espancados ou mortos a tiros.

  • Centenas de pessoas foram mortas no último ano por gangues criminosas que realizam roubos e sequestros no noroeste da Nigéria. O país mais populoso da África, com 206 milhões de habitantes, também luta para conter insurgências islâmicas no nordeste, além de conflitos por direitos de pastoreio nos estados centrais.

    Muhammadu Buhari, presidente da Nigéria, disse que o assassinato em massa de inocentes por quadrilhas criminosas é intolerável. O general, que é do estado de Katsina, afirmou que “esses ataques serão enfrentados com força decisiva”.

    (Com Reuters)

    Continua após a publicidade
    Publicidade