Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Marrocos tem novo governo dirigido por um islamita

Por Azzouz Boukallouch - 3 jan 2012, 16h14

Mais de um mês após as legislativas antecipadas, no tumulto da Primavera Árabe, o rei Mohammed VI nomeou pela primeira vez, no Marrocos, nesta terça-feira, um gabinete dirigido por um islamita, Abdelilah Benkirane.

O Partido Justiça e Desenvlvimento (PJD), chefiado por Benkirane, obteve 12 dos 30 ministérios, entre eles o de Relações Exteriores e da Justiça, chefiados por Saad-Eddine El Othmani e Mustafa Ramid.

Escapam do controle desse partido, no entanto, a importante pasta do Interior, a ser ocupada por Mohand Laenser, líder do Movimento Popular (liberal), assim como a da Defesa, que permanece com Abdellatif Loudiyi, um independente.

Numa declaração à AFP, o novo chefe do governo, Abdelilah Benkirane, disse que “vamos trabalhar para conseguir mais investidores no país, estrangeiros e marroquinos”.

Publicidade

“Nosso governo vai respeitar todos os compromissos assinados pelo Marrocos, no plano international. Também nos dedicaremos a melhorar as condições de vida de nossos cidadãos”, segundo Benkirane.

Publicidade