Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Marine Le Pen se nega a usar véu em encontro com líder muçulmano

A candidata da extrema-direita à presidência da França está em campanha no Líbano

A líder da extrema direita e candidata à presidência da França, Marine Le Pen, cancelou um encontro nesta terça-feira com o grão-mufti do Líbano, principal clérigo para muçulmanos sunitas no país, por se recusar a cobrir a cabeça com um véu.

A candidata a presidência está em campanha de dois dias pelo Líbano, em busca de votos franco-libaneses para o primeiro turno das eleições da França, que ocorrerão no dia 23 de abril. Muitos libaneses moraram na França durante a guerra civil libanesa, de 1975 a 1990, e se tornaram cidadãos franceses.

De acordo com a rede CNN, Le Pen disse aos repórteres que ficou surpresa com a exigência. O porta voz do mufti informou, no entanto, que a candidata havia sido informada sobre a necessidade de cobrir a cabeça na reunião.

A candidata alegou que, durante uma visita ao Egito há dois anos, ela encontrou o grão-mufti de Al-Azhar e não teve de usar o véu. “A maior autoridade sunita não fez essa exigência, mas isso não importa. Transmita ao mufti minha consideração, mas não usarei um véu”, disse Le Pen, que deixou o local imediatamente.

Após o incidente, o vice-presidente do partido da candidataFlorian Philippot, publicou em suas redes sociais sobre a recusa de Le Pen em usar o véu. “Uma linda mensagem de liberdade e emancipação enviada às mulheres na França e no mundo!”.

Em sua campanha, a candidata tem reiterado sua oposição ao uso de véus islâmicos. A burca e o niqab, véus islâmicos que cobrem o rosto das mulheres, são banidos de áreas públicas na França desde 2011. Os hijabs, véus que cobrem a cabeça e mostram o rosto, são proibidos nas escolas francesas desde 2004. 

(Com AFP)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Flavio Feronato

    É, seu mufti, vá se acostumando, vai haver cada vez mais disso. A Europa está de saco cheio de vocês. Não tentem dominar o mundo, ou vão se dar mal.

    Curtir

  2. José Carlos Lopes de Oliveira

    A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários. PARA QUE SERVE ISSO AFINAL?

    Curtir

  3. jose barcelos modesto

    UMA QUESTÃO LÓGICA. COMO TRATAR INTOLERANTES COM TOLERÃNCIA? LEI DA RECIPROCIDADE É O MAIS JUSTO. PARABÉNS PARA MARINE LE PEN.

    Curtir

  4. Dá-lhe Le Penn! Quando ele visitar a França, exija que ele use um pingente com uma cruz. Duvido que ele vá querer usar.

    Curtir

  5. Wilson A. Zamignani

    MARINE LE PEN 2017

    Curtir

  6. Flávio Hernandez

    Bravo! Ela está 100% correta.

    Curtir

  7. Marco Águila

    Embora estivesse na terra deles, onde o costume é esse, ela foi coerente, pelo menos: mandou lembranças e foi embora.

    Curtir

  8. Eita mulher de fibra, estou torcendo por essa mulher, que Deus a abençoe e tire a França desse buraco que os esquerdopatas a colocaram.

    Curtir

  9. Brian Jeremias

    Parece que os idiotas aqui não se deram conta de que essa ultra-direitista que é contra imigrantes e refugiados foi num país pedir votos a ex-refugiados que moraram na França. Bando de burros, so leem os títulos das matérias. Analfabetos!!

    Curtir

  10. Wilson A. Zamignani

    A ESQUERDA ESTÁ MORTA

    Curtir