Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Marcha pede realização de ‘sonho de Luther King’ em Washington

Ato reuniu milhares de pessoas para lembrar os 50 anos do discurso "Eu tenho um sonho" e pedir oportunidades de emprego para negros

Por Da Redação 24 ago 2013, 17h53

Dezenas de milhares de pessoas marcharam na cidade de Washington, neste sábado, para comemorar 50 anos do aniversário do discurso “Eu tenho um sonho”, de Martin Luther King Jr. O grupo também pediu oportunidades de emprego para negros, fim da violência armada, aumento dos direitos das mulheres e reforma nas leis de imigração. “Acreditamos em uma nova América. Chegou a hora de marchar para uma nova América”, disse o líder dos direitos civis e comentarista de televisão MSNBC, reverendo Al Sharpton, à multidão predominantemente negra, dos degraus do Memorial Lincoln.

Sharpton e outros oradores prestaram homenagem a Martin Luther King e outros líderes dos direitos civis, o que, segundo as lideranças do ato, possibilitou a vitória de Barack Obama à presidência dos Estados Unidos. “King viu a possibilidade de um Obama, há 50 anos. O mundo é feito de sonhadores que mudam a realidade por causa de seu sonho. E o que devemos fazer é dar aos nossos jovens sonhos de novo”, disse Sharpton.

A celebração deste sábado, chamada “Ação nacional para realizar o sonho”, foi liderada por Sharpton e Martin Luther King III, filho mais velho de King. Organizadores esperavam 100.000 pessoas para assistirem ao comício e à marcha do Memorial Lincoln ao Monumento a Washington, passando pelo Memorial Martin Luther King Jr.

Histórico – King estava entre seis organizadores da marcha de 1963, e levou cerca de 250.000 pessoas para as escadas do Memorial Lincoln, no National Mall, de onde fez seu discurso “Eu tenho um sonho”. O discurso e a marcha ajudaram a impulsionar a aprovação da Lei dos Direitos Civil e a Lei dos Direitos de Voto em 1964 e 1965, respectivamente. King ganhou o Prêmio Nobel da Paz em 1964. Ele foi assassinado em 4 de abril de 1968, aos 39 anos.

Obama está programado para falar na quarta-feira em uma cerimônia que marca o aniversário da marcha no Memorial Lincoln.

(Com Reuters)

LEIA TAMBÉM:

A morte de Martin Luther King

Luther King, o rei da nova América

Continua após a publicidade
Publicidade