Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Malaysia identifica nacionalidades dos 298 passageiros

A companhia informou que 192 eram holandeses e que trabalha com as embaixadas das nações envolvidas para prestar assistência aos familiares

Por Da Redação 19 jul 2014, 08h32

A companhia aérea Malaysia Airlines comunicou neste sábado as nacionalidades das 298 pessoas que estavam bordo do voo MH17, entre Amsterdã e Kuala Lumpur, que foi abatido no leste da Ucrânia.

A maioria, 192, era de holandeses, sendo que um também tinha nacionalidade americana, informou a companhia. A bordo da aeronave também estavam 44 malaios – incluídos os 15 membros da tripulação e dois bebês -, 27 australianos, 12 indonésios (entre eles um bebê), dez britânicos (um deles com dupla nacionalidade sul-africana), quatro alemães, quatro belgas, três filipinos, um canadense e um neozelandês.

Austrália – Após a divulgação das nacionalidades, a organização da conferência internacional sobre a Aids, que começa domingo em Melbourne, na Austrália, confirmou neste sábado que seis delegados que participariam do evento estavam a bordo do avião malaio que caiu no leste da Ucrânia, entre eles o o ex-presidente da Sociedade Internacional da Aids, Josep Lange, e sua esposa.

Os outros delegados são Pim de Kuijer, da organização Stop AIDS Now!; Lucie van Mens e Maria Adriana de Schutter, da AIDS Action Europe; Glenn Thomas, da Organização Mundial da Saúde; e Jacqueline van Tongeren, do Instituto de Amsterdã para o Desenvolvimento Mundial da Saúde.

Os organizadores devem oferecer mais detalhes sobre os delegados que morreram no acidente ao longo do dia, depois que ontem foi informado que mais de 100 vítimas do acidente estavam a caminho do congresso.

Leia também:

Quem ficou com as caixas-pretas do avião abatido?

Continua após a publicidade

Novas sanções dos EUA atingem gigantes da Rússia

Ucrânia acusa Rússia de derrubar um de seus caças

Assistência – A Malaysia Airlines disse que trabalha com as respectivas embaixadas para informar os familiares mais próximos e que sua prioridade agora é trabalhar com as equipes de emergência para dar assistência a essas pessoas.

A companhia também informou que vai reembolsar e isentar de taxas os passageiros que resolverem mudar o destino de suas viagens e aqueles que desejarem adiar ou cancelar suas passagens, inclusive os que possuem bilhetes não reembolsáveis.

Essas isenções poderão ser aplicadas para solicitações feitas até o dia 24 de julho nas viagens marcadas até 31 de dezembro.

(Com EFE)

Local da queda do avião na Ucrânia

Continua após a publicidade
Publicidade