Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Malásia nega que destroços de avião foram localizados

Relato de que parte da cauda e porta haviam sido achados por avião vietnamita não foi confirmado oficialmente pelo Vietnã. Terrorismo não está descartado

As autoridades da Malásia desmentiram nesta segunda-feira que os restos do avião desaparecido da Malaysia Airlines tenham sido encontrados como divulgaram fontes do Vietnã, e informaram que a investigação continua “sem descartar nenhuma possibilidade”, incluindo a de um ato terrorista.

O diretor-geral do departamento de Aviação Civil, Azharuddin Abdul Rahman, disse que 24 aviões e 40 embarcações de Vietnã, China, Cingapura, EUA, Indonésia, Tailândia, Austrália e Filipinas participam das busca no Golfo da Tailândia. “Infelizmente, não encontramos nada que pareça ser do avião nem ele mesmo”, disse Azharuddin em entrevista coletiva.

Leia também:

Malásia investiga se houve falha de segurança no aeroporto de Kuala Lumpur

Azharuddin desmentiu as informações dadas no Vietnã que no domingo à noite teriam confirmado que um avião vietnamita de reconhecimento tinha avistado a cerca de 93 quilômetros ao sul de Tho Chu o que parecia ser, do alto, um fragmento da cauda e uma porta interior de um avião. “Estas informações não foram confirmadas hoje oficialmente pelas autoridades do Vietnã”, disse o dirigente de aviação civil malaio.

Ele confirmou que várias mostras de óleo recolhidas no mar foram enviadas ao laboratório para esclarecer se são mesmo do Boeing 777-200 desaparecido. Enquanto isso, agências de inteligência de vários países participam de uma investigação que busca esclarecer a possível mudança de rota que o avião teria feito sem o piloto comunicar nem enviar uma mensagem de alerta.

Diante da revelação de que dois passageiros do voo usavam passaportes roubados, Azharuddin disse que ainda não se descarta nenhuma possibilidade, incluída a de um possível sequestro ou ataque terrorista, mas que por enquanto a comapnhia aérea e o governo estão “igualmente perplexos sobre o que pode ter acontecido com o avião”. “Precisamos de provas, restos do avião para determinar que o que aconteceu”, disse, ao qualificar a situação como um “mistério em aviação sem precedentes”.

Terrorismo – Segundo o funcionário malaio, especialistas analisam as gravações e vídeos de um circuito fechado de televisão de dois passageiros que embarcaram no avião com passaportes roubados. Azharuddin evitou confirmar se os impostores tinham traços asiáticos, como havia dito o ministro do interior da Malásia.

Ele também declarou que cinco passageiros que não embarcaram, apesar de terem feito o check ine estão sendo investigadosòr fim, informou que toda a bagagem que entrou no avião passou pelos controles de segurança – o governo malaio investiga se houve falha de segurança no aeroporto de Kuala Lumpur, de onde o avião decolou.

O Boeing 777-200 saiu à 00h41 de sábado (13h41 de sexta-feira em Brasília) e devia aterrissar em Pequim seis horas mais tarde. O contato com a cabine de comando foi perdido duas horas depois da decolagem. A aeronave transportava 239 pessoas: 227 passageiros, incluídos duas crianças, e 12 integrantes da tripulação, todos malaios.

(Com agência EFE)