Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Mais um general sírio deserta e vai se refugiar na Turquia

Já somam 29 os oficiais dessa patente que cruzaram a fronteira, diz diplomata

Por Da Redação
3 ago 2012, 12h20

Mais um general sírio cruzou a fronteira nesta sexta-feira para refugiar-se na Turquia, elevando para 29 o número de oficiais dessa patente que fugiram da Síria, declarou uma fonte diplomática turca. O general de brigada viajou acompanhado por um grupo de cinco a seis pessoas, incluindo membros de sua família. A Turquia tem dado refúgio a centenas de desertores desde que teve início a mobilização popular contra o regime do ditador Bashar Assad, em março de 2011.

Entenda o caso

  1. • Na onda da Primavera Árabe, que teve início na Tunísia, sírios saíram às ruas em 15 de março de 2011 para protestar contra o regime de Bashar Assad.
  2. • Desde então, os rebeldes sofrem violenta repressão pelas forças de segurança, que já mataram milhares de pessoas no país.
  3. • A ONU alerta que a situação humanitária é crítica e investiga denúncias de crimes contra a humanidade por parte do regime.

Leia mais no Tema ‘Guerra Civil na Síria’

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, pediu às grandes potências que superem suas rivalidades e encontrem um terreno de entendimento para pôr fim ao conflito na Síria, que, segundo ele, virou “uma guerra de poderes”. “Os interesses imediatos do povo sírio devem prevalecer sobre as rivalidades ou as lutas de influência”, declarou Ban durante o início do debate para a votação de uma resolução sobre a Síria na Assembleia Geral das Nações Unidas.

Continua após a publicidade

O chefe da ONU afirmou que os combates entre o exército e os rebeldes se intensificaram nas últimas semanas em Damasco e Alepo (norte). Nesta sexta, tropas sírias invadiram o distrito de Tadamon, ao sul de Damasco, com dezenas de tanques, veículos blindados e soldados, na tentativa de recuperar o controle do último reduto de resistência rebelde na capital, segundo ativistas e testemunhas.

A Assembleia Geral da ONU vota nesta sexta uma resolução contra o seu próprio Conselho de Segurança por falhar em dar fim à guerra civil no país. Somente na quinta-feira, 170 pessoas morreram, segundo ativistas. O plano de seis planos do mediador falhou, e o cessar-fogo foi desrespeitado por ambas as partes. Em Genebra, Kofi Annan atribuiu a continuação da violência à intransigência do governo sírio e à escalada da campanha militar da oposição, unida à divisão internacional.

(Com agência France-Presse)

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.