Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Mais de 70% dos venezuelanos querem saída antecipada de Maduro

Mais de 70% dos venezuelanos querem a saída antecipada do presidente Nicolás Maduro, aponta uma pesquisa da consultoria privada Datincorp, divulgada nesta terça-feira. O levantamento também mostra que o referendo revogatório, um dispositivo previsto na Constituição venezuelana, é visto pela população como a melhor alternativa para obter o afastamento do atual chefe de Estado.

Das 1.196 pessoas entrevistadas na primeira semana de fevereiro, 72% disseram que querem que o presidente “conclua seu mandato antes de 2019”, como defende a oposição. Das opções previstas pela Constituição para que isso aconteça, 29% apoiam que se convoque um referendo revogatório; 14%, uma assembleia constituinte; e 14% preferem um “governo de unidade nacional”. A renúncia de Maduro conta com 13% de apoio, enquanto uma intervenção militar desperta simpatia em apenas 2% dos entrevistados.

Leia também

Líder do Parlamento venezuelano defende saída de Maduro por ‘abandono do dever’

País em crise? Deputada chavista ostenta seu luxo no Instagram

Venezuela desvaloriza bolívar em 37% e eleva preços da gasolina

Ainda segundo a enquete, 65% reprovam a gestão de Nicolás Maduro, enquanto 54% consideram que “as primeiras ações da nova Assembleia Nacional não atendem às expectativas que tinham, quando votaram em 6 de dezembro passado”. O “opositor mais confiável” é Leopoldo López (18%), que está detido. Depois, aparecem o empresário Lorenzo Mendoza (10%), os governadores Henry Falcón (9%) e Henrique Capriles (7%) e o parlamentar Ramos Allup (6%).

Igrejas, estudantes e empresários foram os atores mais bem avaliados, em contraste com partidos políticos, militares e sindicatos. “Os militares são apoiados por apenas 6% da população”, e 74% consideram que “não podem solucionar os problemas do país”, acrescentou a Datincorp.

(Com AFP)