Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Mais de 1,3 milhão de americanos perderam o emprego na semana passada

Califórnia, Georgia e Flórida, que sofrem com aumento de casos de Covid-19, concentram 40% dos pedidos; embora alto, número de solicitações vem caindo

Por Da Redação Atualizado em 16 jul 2020, 18h43 - Publicado em 16 jul 2020, 18h26

O Departamento do Trabalho dos Estados Unidos anunciou nesta quinta-feira, 16, que 1,3 milhão de pessoas solicitaram auxílio-desemprego na semana entre 5 e 11 de julho. Dentre os locais com maior número de pedidos estão a Califórnia, a Geórgia e a Flórida, que passam por um novo crescimento no número de casos da Covid-19.

Estado que concentra a maior parte da população americana, a Califórnia registrou quase 290.000 solicitações de auxílio-desemprego entre 5 e 11 de julho. Em segundo lugar, a Geórgia reportou cerca de 136.000 pedidos pelo benefício, e a Flórida, em terceiro, quase 130.000. Os três estados juntos respondem por cerca de 40% de todas as solicitações.

ASSINE VEJA

Vacina contra a Covid-19: falta pouco Leia nesta edição: os voluntários brasileiros na linha de frente da corrida pelo imunizante e o discurso negacionista de Bolsonaro após a contaminação
Clique e Assine

Califórnia, a Geórgia e Flórida também integram o chamado cinturão do sol, estados do sul do país que lideram um aumento significativo nos casos de Covid-19 e que precisaram reforçar medidas de isolamento social, afetando fortemente a economia.

As autoridades californianas reimpuseram no início de julho o fechamento de bares e restaurantes em 19 municípios. Vários condados da Flórida fecharam salões de cabelereiro, cinemas e discotecas e impuseram horários restrito aos bares e restaurantes

O relatório desta quinta-feira revelou também que o número geral de solicitações de auxílio-desemprego entre 5 e 11 de julho foi menor do que o da semana anterior – entre 28 de junho e 4 de julho – quando foram reportados 10.000 pedidos a mais. Embora o número de solicitações ainda seja alto, ele está em queda desde o final de março – mês em que o trabalhadores americanos ingressaram com 6,8 milhões de benefícios – um recorde.

  • Desde então, o governo americano aprovou uma série de medidas para conter o impacto da Covid-19 na economia, dentre eles o pacote de 2 trilhões de dólares (10 trilhões de reais) em estímulos financeiros. Durante o mês de junho, quase 5 milhões de pessoas voltaram a trabalhar.

    (Com Reuters)

    Continua após a publicidade
    Publicidade