Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Mais de 100 mil egípcios exigem renúncia de Mubarak

Em 'Dia da Partida', manifestantes dão ultimato pela queda do presidente

“Saia! Saia! Saia!”, gritavam os manifestantes

Ao menos 100.000 egípcios se reuniram nesta sexta-feira na praça Tahrir, no centro do Cairo, para exigir a renúncia do presidente Hosni Mubarak, no poder há 30 anos. O protesto, denominado “Dia da Partida”, é o maior desde a última terça-feira. Ele pretende ser um ultimato dado pela oposição para que o ditador deixe o poder. Há manifestações também em outras cidades do Egito, como Alexandria, Suez, Ismalia, Port Said e Aswan.

“Saia! Saia! Saia!”, gritavam os manifestantes, curvando-se em oração na direção de Meca. Os confrontos entre pessoas a favor e contra Mubarak cessaram após 48 horas de violência. O Exército intensificou a segurança da praça Tahrir para impedir novos choques. Apesar disto, cerca de 300 governistas estão reunidos em uma ponte próxima.

Na Alexandria, manifestantes, incluindo muitos integrantes da Irmandade Muçulmana, a principal força opositora, se reuniram diante da mesquita Qaed Ibrahim, no centro da cidade, aos gritos de “Abaixo Mubarak! Abaixo o regime!”. Entre os participantes também estavam simpatizantes de outros grupos opositores, como Kefaya (Basta) e o Movimento de 6 de Abril, assim como partidários do Prêmio Nobel da Paz Mohamed ElBaradei.

Mais manifestantes – Sobhi Saleh, um dos dirigentes da Irmandade Muçulmana, afirmou que muitos manifestantes, entre os quais 25.000 pessoas reunidas no bairro Raml, devem se unir à marcha principal. Os organizadores esperam mobilizar um milhão de pessoas em todo o país em um golpe decisivo contra Mubarak. Os protestos começaram em 25 de janeiro e levaram a confrontos que deixaram pelo menos 300 mortos e milhares de feridos, segundo a ONU, que exige a investigação da violência no país.

(Com agência France-Presse)