Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Mais de 100 mil egípcios exigem renúncia de Mubarak

Em 'Dia da Partida', manifestantes dão ultimato pela queda do presidente

Por Da Redação - 4 fev 2011, 12h44

“Saia! Saia! Saia!”, gritavam os manifestantes

Ao menos 100.000 egípcios se reuniram nesta sexta-feira na praça Tahrir, no centro do Cairo, para exigir a renúncia do presidente Hosni Mubarak, no poder há 30 anos. O protesto, denominado “Dia da Partida”, é o maior desde a última terça-feira. Ele pretende ser um ultimato dado pela oposição para que o ditador deixe o poder. Há manifestações também em outras cidades do Egito, como Alexandria, Suez, Ismalia, Port Said e Aswan.

“Saia! Saia! Saia!”, gritavam os manifestantes, curvando-se em oração na direção de Meca. Os confrontos entre pessoas a favor e contra Mubarak cessaram após 48 horas de violência. O Exército intensificou a segurança da praça Tahrir para impedir novos choques. Apesar disto, cerca de 300 governistas estão reunidos em uma ponte próxima.

Na Alexandria, manifestantes, incluindo muitos integrantes da Irmandade Muçulmana, a principal força opositora, se reuniram diante da mesquita Qaed Ibrahim, no centro da cidade, aos gritos de “Abaixo Mubarak! Abaixo o regime!”. Entre os participantes também estavam simpatizantes de outros grupos opositores, como Kefaya (Basta) e o Movimento de 6 de Abril, assim como partidários do Prêmio Nobel da Paz Mohamed ElBaradei.

Publicidade

Mais manifestantes – Sobhi Saleh, um dos dirigentes da Irmandade Muçulmana, afirmou que muitos manifestantes, entre os quais 25.000 pessoas reunidas no bairro Raml, devem se unir à marcha principal. Os organizadores esperam mobilizar um milhão de pessoas em todo o país em um golpe decisivo contra Mubarak. Os protestos começaram em 25 de janeiro e levaram a confrontos que deixaram pelo menos 300 mortos e milhares de feridos, segundo a ONU, que exige a investigação da violência no país.

(Com agência France-Presse)

Publicidade