Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Mãe sequestra os dois filhos e se junta ao EI na Síria

A mulher deixou a cidade de Maastricht, na Holanda, com os filhos de 7 e 8 anos sem o consentimento do pai das crianças, informaram promotores

Por Da Redação 16 mar 2015, 19h16

Uma mãe sequestrou os filhos de 7 e 8 anos de idade e os levou para Síria para se juntar ao Estado Islâmico. A informação foi divulgada nesta segunda-feira por promotores holandeses. Eles acreditam que a mulher recebeu ajuda de terceiros para viajar porque ela conseguiu escapar de uma ordem internacional de prisão.

A mulher de 33 anos, que não foi identificada, tem nacionalidade chechena e morava em Maastricht, mas não era vista desde o fim de outubro. Ela era divorciada do pai das crianças, um cidadão holandês.

Leia também:

Polícia turca detém jovens britânicos que iam se juntar ao Estado Islâmico

Polícia britânica procura na Turquia 3 adolescentes em rota para a Síria

Unicef: Conflitos na Síria e Iraque afetam 14 milhões de crianças

Continua após a publicidade

A polícia divulgou fotos das crianças, Luca e Aysha, mas o promotor Bart den Hartigh admitiu à imprensa local que é impossível recuperá-las se já estiverem na Síria, porque não há relações jurídicas entre os dois países.

O alerta sobre a fuga foi dado pela direção da escola islâmica frequentada pelas crianças na Holanda. A chefe alertou o pai que a mãe havia usado o equipamento do colégio para imprimir passagens de avião com destino à Grécia para ela e os dois filhos.

Segundo a rede Al Jazeera, o homem já havia denunciado os planos de sua ex-mulher para a polícia, que a interrogou diversas vezes – ela negou qualquer intenção de viajar à Síria.

Acredita-se que a mãe utilizou passaportes falsos, passando pela Bélgica e pela Grécia antes de seguir para Raqqa, o quartel-general do grupo terrorista na Síria. Ela deixou outros dois filhos menores na Holanda, com a avó.

A polícia e a procuradoria da Holanda estudam a existência de uma rede de recrutamento de jihadistas em Maastricht que teria ajudado na fuga. No ano passado, mais de trinta crianças holandesas foram para a Síria com os pais.

(Da redação)

Continua após a publicidade
Publicidade