Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Mãe e irmã de menino morto no atentado em Boston ficaram feridas

Martin Richard, de 8 anos, tinha ido com a família acompanhar amigos que participavam da prova. Todos estavam perto da linha de chegada

Por Da Redação - 16 abr 2013, 16h22

O menino Martin Richard, de 8 anos, uma das três vítimas fatais do atentado terrorista na Maratona de Boston, estava com a família acompanhando amigos que participavam da prova, uma das mais tradicionais do calendário do atletismo mundial. Na hora das explosões, o garoto estava perto da mãe, Denise, e da irmã de 6 anos. As duas ficaram feridas, a menina teria perdido uma perna, informação não confirmada pela família.

Leia mais:

Obama diz que explosões em Boston foram ‘ato de terror’

Ataque em Boston relembra dificuldade de deter terroristas

Publicidade

Em entrevista à rede de TV americana NBC, o pai de Martin, William Richard, que é corredor, mas não participou da prova este ano, disse que sua filha teria morrido se não fosse a rapidez dos primeiros socorristas. No último sábado, a menina havia participado de uma corrida para crianças e, segundo um vizinho, ficou muito feliz quando ganhou a medalha de participação.

Em um comunicado divulgado nesta terça, o pai pediu para que todos se lembrem de Martin enquanto rezarem por sua família, que permanece internada em um hospital da cidade. Dos 176 feridos no ataque terrorista, muitos estão em estado crítico.

“Meu querido filho Martin morreu em decorrência dos ferimentos no ataque em Boston. Minha mulher e filha estão se recuperando de graves ferimentos. Agradecemos nossa família e amigos, aqueles que conhecemos e os que nunca encontramos, por suas orações. Peço que continuem a rezar por minha família. Também peço sua paciência e peço privacidade enquanto lidamos com o sofrimento e tentamos nos recuperar”, diz o comunicado.

Vizinhos, amigos e parentes deixaram flores, balões e bichos de pelúcia na porta da casa de Martin, na manhã desta terça-feira. “A família estava sempre junto. É a pior tragédia que eu já vi na minha vida. É uma situação horrível”, disse Jane Sherman, vizinha da família, ao jornal americano The Boston Globe.

Publicidade

Leia também:

FBI diz que irá ‘até o fim do mundo’ para achar culpados

Atentado – Depois de evitar usar o termo terrorismo no primeiro pronunciamento após o atentado, ainda na segunda-feira, nesta terça o presidente Barack Obama classificou o ataque como um “ato de terror”. Ele disse que o FBI, a polícia federal americana, está investigando o caso, mas que os responsáveis ainda não foram identificados.

Publicidade