Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Maduro ameaça participar sem convite da Cúpula das Américas

Governo do Peru afirmou que presidente venezuelano não é bem-vindo no encontro

Por Reuters Atualizado em 15 fev 2018, 22h23 - Publicado em 15 fev 2018, 22h16

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, disse nesta quinta-feira que líderes da América Latina mostraram intolerância ao tentar excluí-lo de uma cúpula em Lima. O venezuelano prometeu ir ao encontro mesmo sem convite.

O governo do Peru informou nesta semana que Maduro não é bem-vindo na Cúpula das Américas em abril, reforçando o crescente isolamento diplomático venezuelano em um momento de forte repressão sobre dissidentes e uma crise econômica brutal no país.

“Vocês têm medo de mim? Não querem me ver em Lima. Vocês irão me ver. Porque faça chuva ou faça sol, por ar, terra, ou mar, eu irei participar da Cúpula das América”, disse Maduro durante uma entrevista coletiva a jornalistas estrangeiros.

  • O venezuelano afirmou também que o presidente da Argentina, Mauricio Macri, deveria convocar um encontro da União de Nações Sul-Americanas (Unasul) com ele. “Convoque um encontro, ouse, não tenha medo de mim, presidente Macri”, disse Maduro. “Se vocês querem falar sobre a Venezuela, vamos falar sobre a Venezuela.”

    Críticos ao governo dizem que Maduro se recusa a reformar a economia em colapso, que provocou escassez de alimentos e remédios, hiperinflação, fome e retorno de doenças no passado controladas. Críticos também dizem que o presidente não quer reconhecer a extensão do sofrimento humanitário no país, o que torna inútil qualquer tipo de negociação com ele.

    Maduro diz que governos regionais de direita são parte de uma conspiração internacional liderada pelos Estados Unidos para derrubá-lo e tomar controle dos recursos de petróleo do país membro da Opep. “Eles são os governos mais impopulares do planeta”, disse, citando Argentina, Colômbia e Peru.

    Continua após a publicidade
    Publicidade