Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Madri pede maior rapidez para ajuda aos bancos espanhóis

Por Da Redação - 19 jun 2012, 21h47

Los Cabos (México), 19 jun (EFE).- O presidente do governo espanhol, Mariano Rajoy, defendeu nesta terça-feira maior rapidez para o mecanismo de ajuda aos bancos espanhóis e disse que Madri pretende analisar a necessidade de recorrer a um dos dois fundos de resgate europeus ‘ou a um instrumento diferente’.

Em entrevista coletiva após o término da Cúpula do G20 em Los Cabos (México), Rajoy afirmou que ninguém na reunião pediu à Espanha que acelere seu pedido de ajuda – como tinha dito a chanceler alemã, Angela Merkel -, e ressaltou que a Espanha é ‘a primeira interessada’ que a situação se resolva o mais rápido possível.

Enquanto se espera o relatório dos avaliadores independentes sobre as necessidades de capital dos bancos espanhóis, o governo Rajoy negocia o memorando com as condições do empréstimo. A dúvida está entre utilizar o Fundo Europeu de Estabilidade (FEEF), o Mecanismo Europeu de Estabilidade (MEE) ‘ou um instrumento diferentes’.

Perguntado especificamente sobre que outros instrumentos poderiam ser utilizados, ele rejeitou entrar em ‘detalhes técnicos’ e sublinhou a importância de haver vontade política para fechar ‘da melhor maneira possível’ a linha de crédito de até 100 bilhões de euros que o governo pretende solicitar. EFE

Publicidade