Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Macri surpreende Scioli e Argentina terá segundo turno

Com 92% dos votos apurados, o governista Scioli tem uma leve vantagem (36,35%) sobre o opositor Macri (34,78%). Os números representam uma surpresa para os analistas

Por Da Redação 26 out 2015, 06h23

O conservador Mauricio Macri surpreendeu na eleição presidencial deste domingo na Argentina ao obter um empate virtual com o favorito Daniel Scioli, candidato apoiado pela presidente Cristina Kirchner. Os dois disputarão o 2º turno no dia 22 de novembro, algo inédito na política do país. Quando muitos acreditavam que a vitória de Scioli era praticamente certa, a sede da campanha de Macri explodiu em aplausos quando foi anunciado que o conservador estava em primeiro lugar, superando o candidato governista nos primeiros números da apuração da Junta Nacional Eleitoral.

Nenhum candidato conseguiu 45% dos votos ou 40% com uma vantagem de 10 pontos sobre o segundo colocado, possibilidades que garantiriam a vitória no primeiro turno. Com 92% dos votos apurados, Scioli tem uma leve vantagem (36,35%) sobre Macri (34,78%). Os números representam uma grande surpresa para os analistas. Outra grande surpresa do dia foi a eleição para governador da província de Buenos Aires, na qual a opositora María Eugenia Vidal superava por cinco pontos o kirchnerista Aníbal Fernández, com mais de 90% dos votos apurados.

Leia também

Após 8 anos, Argentina vai voltar a ter primeira-dama. Conheça as candidatas

Cristina Kirchner, seu governo ruim, sua economia fraca e seu candidato favorito

Continua após a publicidade

Governo argentino espiona juízes, políticos e jornalistas; dizem deputadas opositoras

“O que aconteceu hoje mudou a política do país”, disse eufórico Macri, um empresário e ex-presidente do clube Boca Juniors que é prefeito de Buenos Aires há oito anos. O analista político Jorge Giaccobe considerou o resultado “inédito”. “Todas as análises foram um profundo fracasso. Estamos diante de um feito inédito que ninguém percebeu, nem sequer Macri, que imaginava apenas estar no segundo turno”, disse.

Na sede da campanha de Scioli, a festa deu lugar a um clima sombrio, apesar do candidato ter garantido a presença no segundo turno. “Convoco todos os indecisos e independentes para alcançar a vitória de todos os argentinos”, declarou Scioli antes do anúncio dos primeiros resultados. Sergio Massa, ex-chefe de gabinete da atual presidente e deputado peronista que passou À oposição, ficou em terceiro lugar. Massa agora tem o poder de influenciar seus eleitores e, em tese, decidir o segundo turno.

Fim da era Kirchner – A eleição encerra 12 anos de governos do casal Kirchner, de centro-esquerda. Impedida por lei de disputar o terceiro mandato, Cristina Kirchner apoia Scioli, um peronista moderado, que diferentemente dela tem boas relações com os mercados e o empresariado. Com uma inflação extraoficial de 20% a 30%, o país parou de crescer a taxas de 8% como no melhor período dos governos do casal Kirchner. O consumo permanece alto, mas o nível real da pobreza no país é motivo de polêmica com a oposição.

A eleição encerra uma era iniciada com o falecido marido da presidente, Néstor Kirchner (2003-2007). O casal emergiu com o tom esquerdista durante a pior crise da história do país, em 2001. Os eleitores também renovaram um terço do Senado, metade dos deputados e escolheram 11 dos 25 governadores. Nenhum partido deve ter maioria no Congresso, segundo analistas.

(Da redação)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)