Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Liga Árabe: Síria aceita receber Kofi Annan como mediador

Enviado da ONU e da Liga Árabe deve chegar ao país no próximo 10 de março

Por Da Redação 5 mar 2012, 10h52

O regime de Damasco aceitou receber o enviado conjunto da ONU e da Liga Árabe para a Síria, Kofi Annan, no próximo dia 10 de março, anunciou nesta segunda-feira o secretário-geral da organização pan-árabe, Nabil El Araby. Annan, principal responsável das Nações Unidas entre 1997 e 2006, será o encarregado de promover uma saída pacífica à crise síria mediante o apoio de todas as partes envolvidas no conflito. El Araby fez o anúncio em um ato na sede da Liga Árabe no Cairo e indicou que foi o próprio Annan que lhe informou que o governo de Damasco havia dado o sinal verde para sua visita e que também tinha aceitado receber a subsecretária geral da ONU para Assuntos Humanitários, Valerie Amos.

Entenda o caso

  1. • Na onda da Primavera Árabe, que teve início na Tunísia, sírios saíram às ruas em 15 de março para protestar contra o regime de Bashar Assad, no poder há 11 anos.
  2. • Desde então, os rebeldes sofrem violenta repressão pelas forças de segurança, que já mataram mais de 9.400 pessoas no país.
  3. • A ONU alerta que a situação humanitária é crítica e investiga denúncias de crimes contra a humanidade por parte do regime.

Leia mais no Tema ‘Guerra Civil na Síria’

Mediação – Em 29 de fevereiro, a própria Valerie revelou que a Síria tinha rejeitado seu pedido para visitar o país para avaliar a situação humanitária e dar assistência aos mais necessitados. Até o momento, o regime de Damasco não confirmou nem desmentiu o anúncio desta segunda. El Araby lembrou que Annan viajará na próxima quarta-feira ao Cairo, onde sua missão terá um escritório, antes de partir rumo à Síria e não descartou que se reúna previamente com os ministros das Relações Exteriores árabes. Anteriormente, o responsável pan-árabe tinha anunciado a designação do ex-ministro das Relações Exteriores palestino Nasser al Qudua como ajudante de Annan em seu trabalho de mediador na Síria.

Ajuda humanitária – Nesta segunda-feira, a Cruz Vermelha, ao lado do Crescente Vermelho, começou a distribuir comida e cobertores à população de dois bairros de Homs, segundo a agência Reuters. As organizações estariam nos bairros de al-Inshaat e al-Tawzii, próximos de Baba Amr, de acordo com Hicham Hassan, porta-voz da Cruz Vermelha na região.

Programa nuclear – O diretor-geral da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), o japonês Yukiya Amano, anunciou ainda, em discurso perante o Conselho de Governadores do organismo, que recebeu uma carta de Damasco em 20 de fevereiro. Nela, o regime sírio pedia que à AIEA compreendesse a difícil situação local para justificar a falta de avanço e cooperação para esclarecer questões sobre possíveis atividades nucleares no país.

(Com agência EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade