Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Líderes mundiais reagem a ataque em Barcelona

Donald Trump, Angela Merkel e Emmanuel Macron expressaram sua solidariedade ao povo espanhol

Alguns dos principais líderes mundiais condenaram o atentado que deixou 13 mortos nesta quinta-feira em Barcelona, na Espanha. O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ofereceu a ajuda de seu país para o que for necessário. “Sejam valentes e fortes, amamos vocês!”, publicou em seu Twitter.

A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, disse que seus pensamentos estão com as vítimas do “terrível ataque”. “O Reino Unido está com a Espanha na luta contra o terrorismo”, acrescentou.

O presidente francês, Emmanuel Macron, também expressou sua solidariedade. “Nós permanecemos unidos e determinados”, disse no Twitter, descrevendo o incidente como um “trágico ataque”.

O gabinete da chanceler Angela Merkel, da Alemanha, também condenou o “ataque revoltante”. Seu porta-voz, Steffen Seibert, publicou em seu Twitter que o país está “com solidariedade e amizade ao lado do povo da Espanha”.

Uma van atropelou uma multidão na La Rambla, principal avenida turística de Barcelona, na tarde desta quinta-feira, horário local. Segundo o chefe do governo da Catalunha, Carles Puigdemont, treze pessoas morreram e 80 ficaram feridas, entre elas quinze em estado grave.

O ataque já foi classificado pela polícia local como ato terrorista. Diversas ambulâncias e carros de polícia estão no local. A região foi isolada e os estabelecimentos, fechados.

A polícia prendeu um homem que foi visto fugindo do local após atropelar a multidão. Ele foi inicialmente identificado como Driss Oukabir pela imprensa, mas algumas horas depois o verdadeiro Oukabir se apresentou às autoridades para esclarecer que seus documentos foram roubados e que ele não tem nenhuma ligação com o ataque. O suspeito preso ainda não foi identificado.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Merkel é a importadora mor com seu convite aos muçulmanos para vir para a Alemanha. Depois ela exigiu que os outros países da desunião europeia também recebessem parte dos por ela convidados. A europa paga o preço por não querer e não saber agir e viver no mundo da lua.

    Curtir