Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Líder de oposição venezuelano Ledezma volta à prisão domiciliar

Ledezma foi aprisionado após ser acusado de desestabilizar o governo do ditador Maduro

Por Reuters 4 ago 2017, 10h32

O líder opositor venezuelano Antonio Ledezma voltou para casa para cumprir prisão domiciliar na madrugada desta sexta-feira, 04. Ele foi trazido pelo serviço de inteligência, disse a esposa do político por meio do Twitter.

Ledezma e o outro líder da oposição Leopoldo López, que parte da comunidade internacional descreve como presos políticos, foram aprisionados após serem acusados de desestabilizar o governo do ditador venezuelano, Nicolás Maduro.

“Vários minutos atrás, Antonio foi devolvido inesperadamente pelo Sebin (serviço de inteligência) para nossa casa”, escreveu sua esposa, Mitzy Capriles de Ledezma, no Twitter.

Continua após a publicidade

“Nós agradecemos ao povo da Venezuela e à comunidade internacional por sua preocupação e solidariedade”.

Os dois homens haviam convocado protestos de terça-feira contra a criação da Assembleia Constituinte, que líderes da oposição e governos por todo o mundo têm descrito como um ataque contra liberdades básicas na Venezuela.

Ainda não há informações sobre o paradeiro de López.

Vai e volta

Na madrugada de terça-feira, 01, tanto Ledezma quanto López foram levados de suas casas pela polícia para um local não informado.

Continua após a publicidade

Na ocasião, vários representantes da coalizão opositora Mesa da Unidade Democrática (MUD) divulgaram no Twitter um vídeo que mostra Ledezma sendo retirado de sua residência, onde estava preso desde 2015, por funcionários do Sebin.

López cumpria prisão domiciliar desde 8 de julho.

Ledezma foi detido em fevereiro de 2015 acusado de conspiração e formação de quadrilha e, após dois meses na prisão militar de Ramo Verde, recebeu uma medida cautelar e, por motivos de saúde, passou a cumprir a pena em sua residência. Quase dois anos e meio após sua detenção, Ledezma ainda não foi condenado.

López, por sua vez, passou mais de três anos na mesma prisão e seus advogados denunciaram que ele foi torturado em várias ocasiões.

Continua após a publicidade

(Com Reuters)

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.