Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Líder da esquerda mexicana contesta transparência das eleições presidenciais

Cidade do México, 2 jul (EFE).- O líder da esquerda do México, Andrés Manuel López Obrador, classificou as eleições presidenciais de domingo como ‘desiguais e infestadas de irregularidades’ e disse que não está disposto a aceitar um ‘resultado fraudulento’.

‘Como se compreenderá, não posso aceitar nenhum resultado até não ter a certeza de que se respeite o voto dos cidadãos’, afirmou López Obrador em entrevista coletiva em um hotel da capital mexicana. ‘É imprescindível que não reste dúvidas sobre os resultados, pelo bem do México e de nosso povo’.

‘Estamos revisando as cédulas e recolhendo todos os testemunhos sobre irregularidades para agir na Justiça’, destacou o político da coalizão liderada pelo Partido da Revolução Democrática (PRD).

Sua principal crítica mencionou a possibilidade que de uma compra de votos maciça que poderia favorecer o candidato do Partido Revolucionário Institucional (PRI), Enrique Peña Nieto, virtual vencedor do pleito do domingo.

‘Se forem limpos os votos que foram comprados, ganhamos com bastante margem. Não podemos aceitar um resultado fraudulento’, exclamou López Obrador.

Perguntado se poderia garantir que houve fraude no pleito, respondeu: ‘Temos de reunir os elementos, jamais fazemos uma denúncia se não apresentamos provas’.

Ele também disse que seu grupo político esgotará todas as instâncias legais para contestar o processo e pediu a seus simpatizantes que apresentem provas de anormalidades cometidas durante e depois da jornada eleitoral.

López Obrador disse que nada ainda está confirmado, pois os resultados oficiais ainda não foram divulgados, já que a contagem dos votos não terminou. Até agora, o Instituto Federal Eleitoral (IFE) só divulgou resultados preliminares, com os dados transmitidos por todas as mesas de votação, mas só a partir da quarta-feira serão contadas as cédulas de votação em cada distrito.

Os partidos também se reservam o direito de voltar a contar um por um os votos de determinado distrito.

López Obrador acusou Peña Nieto de usar dinheiro ilegal para financiar sua campanha. ‘Usou bilhões de pesos de procedência ilícita, e ultrapassou em muito o permitido pela lei. Ao mesmo tempo, foi patrocinado de maneira exclusiva pela imprensa’.

Perguntado diretamente se estava disposto a acatar os resultados e as decisões dos tribunais eleitorais, desconversou: ‘Não vamos nos antecipar, devemos esperar’. EFE