Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Líder da Al-Qaeda foi alvo de drone americano no Paquistão (imprensa)

Por Ho 5 jun 2012, 11h02

A imprensa americana, citando autoridades de Washington, garantiu nesta terça-feira que um drone, avião não tripulado, da CIA tinha como alvo no Paquistão o líbio Abu Yahya al-Libi, um dos líderes da Al-Qaeda considerado nos Estados Unidos o “número 2” da organização, mas não foi possível confirmar sua morte.

No Paquistão, oficiais da segurança, que pediram o anonimato como seus homólogos em Washington, asseguraram à AFP, também citando a inteligência americana, que Al-Libi era o alvo do drone, que matou na madrugada de segunda-feira 15 insurgentes islamitas no noroeste do Paquistão, principal reduto da Al-Qaeda no mundo.

Mas eles são unânimes em dizer que ainda é impossível saber se Al-Libi estava entre as vítimas. O local do atentado está nas mãos de insurgentes islâmicos e os corpos estão irreconhecíveis.

Além disso, especialistas ocidentais e paquistaneses no combate ao terrorismo contestam o papel do número 2 da Al-Qaeda. Eles afirmam que Al-Libi é apenas um dos ideólogos e faz parte do círculo dos cinco principais líderes.

Os Estados Unidos, que oferecem apenas um milhão de dólares pela sua captura, de fato colocam ele na posição 39 dos “procurados por terrorismo”, muito aquém do egípcio Ayman al-Zawahiri, sucessor de Osama bin Laden, morto há mais de um ano por um comando americano no norte do Paquistão, onde estava escondido há pelo menos cinco anos.

“As pessoas estão observando atentamente para ver se (Al-Libi) ainda está vivo”, disse uma autoridade dos Estados Unidos ao New York Times: “Vai levar tempo para que as pessoas tenham realmente certeza de que ele está morto. Mas, sendo o 2º da Al-Qaeda, seria um sério golpe”.

Continua após a publicidade

Abu Yahya al-Libi já havia sido declarado morto em um ataque de drone em dezembro de 2009, informação que se mostrou falsa.

Vários agentes da inteligência e militares do Paquistão, consultados pela AFP nesta terça-feira, indicaram que os seus homólogos americanos relataram que Al-Libi era o alvo do ataque de seu drone, mas nenhum deles foi capaz de afirmar se o líbio estava presente no momento do ataque. Um deles afirmou que havia “estrangeiros” entre as vítimas, mas os corpos estão completamente carbonizados.

Um de seus colegas, disse que apenas a interceptação de uma comunicação entre os insurgentes, anunciando a sua morte ou um anúncio feito pela Al-Qaeda poderia atestar sua morte.

“Seria um golpe terrível no coração da Al-Qaeda eliminar o seu número 2 duas vezes em menos de um ano”, afirmou uma autoridade americana à AFP, em Washington.

Washington anunciou no verão de 2011 (hemisfério norte) que o líbio Atiyah Abd al-Rahman, então apresentado como o número dois da Al-Qaeda, havia sido morto por um drone no Paquistão no dia 22 de agosto.

Abu Yahya al-Libi já apareceu várias vezes nos últimos anos em mensagens de vídeo da Al-Qaeda. Em março, ele exortou os rebeldes líbios para continuar a sua ofensiva contra o regime de Kadhafi.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês