Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Letizia Ortiz, de jornalista a futura rainha da Espanha

Há dez anos, ela abriu mão de uma promissora carreira na TV para se casar com o príncipe Felipe e fazer parte da família real

A futura rainha da Espanha poderia estar do outro lado da notícia, acompanhando a transição monárquica como jornalista. Letizia Ortiz Rocasolano, de 41 anos, abandonou a carreira no jornalismo para se casar, dez anos atrás, com o príncipe das Astúrias, Felipe de Bourbón, herdeiro do rei da Espanha, Juan Carlos I. Ex-apresentadora de telejornal, ela conheceu o príncipe em um jantar na casa de um colega da TVE logo depois de ter sido eleita a melhor jornalista do país com menos de 30 anos de idade. Agora, ela se prepara para assumir o lugar da rainha Sofía.

Os estilos de Sofía e Letizia são bem diferentes. Como jornalista, Letizia tinha fama de meticulosa e exigente, características que levou para a monarquia. Segundo o jornal El País, nos atos oficiais dos quais participa, a rainha Sofía sempre tenta cumprimentar a todos, enquanto a princesa Letizia prefere ocupar o tempo em reuniões de trabalho. “Ela pergunta tudo”, disse um dos colaboradores da princesa ao diário espanhol. “E não vale qualquer resposta. Ela quer estar totalmente informada.”

Leia também:

Rei Juan Carlos, da Espanha, abdica do trono

Infanta Cristina é acusada de lavagem de dinheiro

Letizia também tenta levar uma vida o mais perto do normal possível para uma integrante da família real, mesmo que isso renda algumas críticas. Ao lado dos inúmeros compromissos oficiais, manteve uma rotina que inclui idas ao cinema, festivais de rock e feiras literárias. Sua presença em um show do grupo americano The Killers, ao qual foi vestida com calça jeans e jaqueta de couro, acompanhada de duas amigas, foi alvo de intenso debate. Ela acabou reduzindo suas saídas, mas ainda vai com o marido ao cinema e a restaurantes da moda.

O casal leva as duas filhas, Sofía, de sete anos, e Leonor, de oito, ao colégio diariamente. E poderá continuar morando na casa construída no ano 2000 e conhecida como pavilhão do príncipe, mesmo depois da entronização. No início de maio, as duas meninas participaram de uma cerimônia militar na base aérea de San Javier, ocupando um lugar na tribuna de honra. Foi uma exceção na rotina das crianças, que a mãe princesa tenta deixar afastadas dos holofotes, mas não ocorreu por acaso. Leonor deverá ter uma presença mais constante, agora como herdeira do herdeiro, reforçando a imagem de continuidade institucional da Coroa.

A princesa assumiu uma série de atividades voltadas para a infância e a juventude, a educação, o combate a doenças raras e o incentivo à pesquisa científica. Também é colaboradora da Organização Mundial da Saúde em temas de nutrição – pese sua notável magreza. Em sua agenda de atos oficiais, destaca-se a entrega dos prêmios Príncipe das Astúrias, que é celebrada em Oviedo, cidade natal de Letizia, no norte do país.

Em reportagem recente, o El País destacou as diferenças de personalidade entre o futuro rei Felipe VI, calmo, moderado e que leva tempo para tomar decisões, e a futura rainha, descrita como “hiperativa, expansiva, impaciente, apaixonada, espontânea e teimosa”. “Para conquistá-la, é preciso convencê-la, o que nem sempre é fácil”.

Leia mais:

Princesa de Mônaco, Charlene anuncia que está grávida

Holanda ganha novo rei e, de quebra, rainha argentina

Por que Elizabeth II não renuncia ao trono, como Beatrix?

(Com agência EFE)