Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

La Catedral: luxuosa prisão de Pablo Escobar vira asilo para idosos

Albert Traver.

Envigado (Colômbia), 5 ago (EFE).- La Catedral, uma luxuosa prisão que foi construída para abrigar o traficante colombiano Pablo Escobar após ele ter se entregado às autoridades em 1991 e da qual fugiu depois, se transformará em um abrigo para idosos sem recursos.

Escobar, que ocupou essa prisão por pouco mais de um ano, chegou à La Catedral no dia 19 de junho de 1991, após fechar um acordo com o então presidente César Gaviria. Por meio deste, o chefe do cartel de Medellín concordou seguir para prisão para evitar um tratado de extradição aos Estados Unidos.

La Catedral, localizada em uma aldeia do município de Envigado, vizinho à cidade de Medellín, contava com luxuosos quartos, salas de jogos, academia, uma catarata natural e até campo de futebol, um lugar que tinha portas abertas e sem restrições aos parentes e amigos do traficante.

Com uma vista privilegiada de Medellín e dentro desta ‘cela de ouro’, Escobar controlava seus negócios, ordenava assassinatos, que ocorriam no interior do mesmo recinto, e realizava festas marcadas pelo excesso de álcool, drogas e mulheres.

Quando os privilégios de Escobar tornaram-se públicos, o ex-presidente Gaviria foi obrigado a transferi-lo para uma prisão de verdade. Porém, antes de ser transferido, o então maior traficante da história da Colômbia ficou sabendo dessa decisão e, na noite do dia 21 de julho de 1992, fugiu do local, enganando o Estado colombiano.

Com a fuga de Escobar, La Catedral ficou vazia e os moradores de Envigado, persuadidos que seus muros escondiam uma fortuna, saquearam durante meses o presídio, pedra por pedra.

Durante anos, as ruínas foram um lugar de peregrinação para turistas, principalmente estrangeiros, e devotos de Pablo Escobar que costumavam acampar na região, enquanto os mais intrépidos seguiam em procura do tesouro.

O destino de La Catedral mudou de rumo somente em 2007, com a chegada de um grupo de monges beneditinos que levantaram entre os escombros um espaço de paz e oração.

Depois de 15 anos que Pablo Escobar tinha escapado de sua própria prisão, construída sobre terrenos de sua propriedade, a comunidade beneditina começou a cogitar a possibilidade de transformar o antigo presídio, ‘um lugar de tanto de pecado’, em um espaço turístico-religioso.

Assim explicou à Agência Efe o irmão Elkin Vélez, um dos quatro monges beneditinos que vivem em La Catedral praticamente como eremitas, dedicados principalmente ao estudo e à oração.

A poucos metros das ruínas, os monges construíram uma capela, uma casa, uma cafeteria e uma biblioteca ‘para as crianças com poucos recursos econômicos’, basicamente os filhos dos mordomos das mansões que rodeiam o lugar.

Junto de uma imagem de Jesus Cristo, suspensa sobre uma bandeja com armas de fogo, os monges também criaram um cantinho de memória onde figuram os nomes de algumas personalidades que denunciaram Escobar e acabaram assassinados, como os políticos Rodrigo Lara Bonilla e Carlos Galán, ou o jornalista Guillermo Cano.

Segundo Vélez, muitas pessoas que vivem próximas à La Catedral pedem para os monges ‘orarem pelas pessoas que morreram neste lugar’.

Agora, cinco anos após sua chegada, os beneditinos estão a ponto de transformar o espaço em um centro para os idosos de Envigado, que deverá ficar pronto já no mês de setembro.

‘O lar é para atender pessoas de poucos recursos ou para aqueles que não têm como pagar’, assegurou o monge, que explicou que alguns dos membros da comunidade já estão adquirindo conhecimentos em medicina para cuidar prestar assistência aos idosos.

Pablo Escobar morreu pelas mãos da polícia em dezembro de 1993, um ano e meio após sua fuga, mas suas marcas seguem vivas na Colômbia, principalmente em Medellín, o epicentro da atividade criminosa do maior traficante da história do país. EFE