Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Kofi Annan visitará o Irã para tratar conflito na Síria

Por Da Redação
28 mar 2012, 11h57

Teerã, 28 mar (EFE).- O ex-secretário-geral da ONU e enviado especial para a Síria, Kofi Annan, visitará Teerã na próxima semana para tratar o conflito sírio com as autoridades do Irã, um dos poucos países que manifestou seu pleno apoio ao regime do presidente Bashar al Assad.

O ministro de Exteriores iraniano, Ali Akbar Salehi, anunciou à agência oficial iraniana ‘Irna’ a visita de Annan enquanto se encontra em Teerã o primeiro-ministro da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, cujo país mantém uma postura totalmente oposta à do Irã em relação à Síria.

Em todo caso, Salehi ressaltou que o Irã apoia o plano de paz de Annan, que foi aceito pelo governo sírio e que também é respaldado pela Liga Árabe e pela Turquia, além das Nações Unidas.

‘Fizemos consultas com as autoridades turcas aliadas para estreitar a brecha que nos separa sobre como tratar a crise humanitária da Síria’, afirmou Salehi.

Continua após a publicidade

O diplomata iraniano advertiu que não é conveniente adotar medidas precipitadas em relação à Síria, pois a queda do regime de Assad poderia ‘deixar um vazio de poder que ameaçaria a paz e a segurança em toda a região do Oriente Médio’.

Erdogan chegou hoje a Teerã para repassar às autoridades iranianas as decisões da 2ª Cúpula de Segurança Nuclear realizada na Coreia do Sul, tratar as relações bilaterais, especialmente no campo da energia e discutir a situação do Oriente Médio, concretamente o conflito da Síria.

Ontem, o coordenador da ONU para o Oriente Médio, Robert Serry, disse que o número de mortos no conflito sírio desde que começaram os protestos contra o regime de Assad há mais de um ano supera os nove mil.

Continua após a publicidade

A oposição síria acusou o Irã de facilitar ajuda militar para a repressão ao regime de Damasco, o que Teerã negou, ao mesmo tempo em que acusou os países árabes e os Estados Unidos de armarem à oposição, à qual considera grupos ‘terroristas’.

Teerã, que reprimiu de forma sangrenta os protestos surgidos pelas denúncias de fraude após as eleições presidenciais iranianas de 2009, apoiou os levantes e revoluções da Primavera Árabe na Tunísia, Egito, Líbia, Iêmen, Barein, Jordânia e Arábia Saudita.

No entanto, respalda firmemente o regime sírio de Assad, seu principal aliado árabe. EFE

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.