Clique e assine com até 92% de desconto

Kim Jong-un usou um passaporte brasileiro para ir à Disney

Ele foi acompanhado de outra criança - aparentemente o seu irmão mais velho

Por Da Redação 22 dez 2011, 11h58

O novo mandatário norte-coreano, Kim Jong-un, visitou secretamente o Japão durante sua infância, utilizando uma falsa identidade com um passaporte brasileiro, e inclusive teria visitado a Disneylândia de Tóquio, informou nesta quinta-feira o jornal Yomiuri Shimbun. Ele foi acompanhado de outra criança, aparentemente seu irmão mais velho Jong-chul, completou a publicação.

Os dois irmãos entraram no Japão em 12 de maio de 1991 e partiram onze dias depois, utilizando passaportes brasileiros verdadeiros com uma identidade falsa, informou o Yomiuri, citando fontes dos serviços secretos. Eles obtiveram vistos japoneses em Viena e Jong-un, que então tinha 8 anos, passou-se por Joseph Pak. O jornal não informou se outras pessoas os acompanhavam.

Os serviços de segurança japoneses tiveram suspeitas sobre sua verdadeira identidade, mas quando foi iniciada a investigação eles já tinham saído do país. Os recibos dos cartões de crédito mostram que “provavelmente” visitaram a Disneylândia nos subúrbios de Tóquio, completou o jornal.

Seu meio irmão Jong-nam, que hoje tem 40 anos, foi expulso do Japão em 2001 depois de ter tentado entrar nesse país com um passaporte dominicano falso. Na época, Jong-nam declarou aos funcionários da imigração que desejava visitar a Disneylândia.

Mistério – A vida de Kim Jong-un, cujo rosto era totalmente desconhecido há apenas um ano, é rodeada de mistério. Ignora-se particularmente a data de seu nascimento: teria atualmente cerca de 30 anos, segundo algumas fontes, no entanto, veículos da imprensa japonesa lhe dão 28 anos, e 30 para Jong-chul.

Os dois irmãos são filhos da terceira mulher de Kim Jong-Il, uma bailarina coreana nascida no Japão, Ko Yong-hi, que morreu de câncer de mama em 2004. Seu meio irmão Jong-nam é filho de uma primeira mulher do líder morto.

Leia também:

Leia também: Futuro da Coreia do Norte é tão obscuro quanto o novo líder

(Com agência France-Presse)

Continua após a publicidade
Publicidade