Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Kim Jong-un envia a Washington proposta de novo encontro com Trump

Segunda reunião poderá acontecer em fevereiro no Vietnã; avanço da desnuclearização da Coreia do Norte ainda é desapontador

Considerado o braço direito de Kim Jong-un, o chefe da inteligência da Coreia do Norte, Kim Yong-chol, reúne-se na tarde desta sexta-feira, 18, como secretário de Estado americano, Mike Pompeo, em Washington. O enviado especial leva uma nova carta de do líder norte-coreano na qual propõe um segundo encontro com o presidente americano, Donald Trump.

Em um esforço paralelo para comunicar-se com a Casa Branca, Kim enviou para a Suécia a sua vice-ministra do Exterior, Choe Son-hui, para um encontro com o representante especial do governo americano para a Coreia do Norte, Stephen Biegun.

Em princípio, o próximo encontro Kim-Trump deve ser sediado no Vietnã, em fevereiro, quando o líder norte coreano terá uma visita de Estado a Hanói. O tema que liga ambos os líderes é o processo de desnuclearização da Coreia do Norte, em que troca poderá ver levantadas as sanções econômicas americanas sobre o país.

Recentemente, o governo norte-coreano voltou a intensificar suas atividades diplomáticas. Kim visitou a China no começo de janeiro para conversas com o presidente Xi JinpingDesde junho de 2018, quando ele manteve um encontro histórico com Trump em Cingapura, pouco progresso se deu nos planos desnuclearização da Coreia do Norte.

Os encontros em Washington e de Estocolmo podem acertar a agenda do futuro encontro entre os líderes. Em seu discurso de Ano Novo, Kim disse estar comprometido com a desnuclearização acertada em Cingapura, mas avisou que poderia mudar de ideia se as sanções dos Estados Unidos contra o país não fossem totalmente revogadas.

O general Kim Yong-chol é um ex-espião que emergiu como principal negociador nas conversas recentes com o governo dos Estados Unidos. Figura controversa, foi acusado por planejar ataques a navios de guerra da Coreia do Sul durante seu tempo como chefe da inteligência militar, em 2010.

Encontro com Trump

O alto funcionário da Coreia do Norte desembarcou na noite de quinta-feira em Washington, acompanhado da diretora do Departamento do Frente Unida, Kim Song-hye, e o diretor-geral do departamento para assuntos americanos do Ministério das Relações Exteriores norte-coreano, Choe Kang-il.

De acordo com a imprensa, a delegação norte-coreana não tem planos de deixar a capital norte-americana até sábado, 19, o que deixa amplo espaço para uma possível com o próprio Donald Trump. A Casa Branca não se pronunciou sobre essa possibilidade. Kim Yong-chol esteve em Washington em junho do ano passado, quando entregou a Trump uma carta do líder norte-coreano.

(com EFE, Reuters)