Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Kerry: questões sobre o Irã nuclear devem ser resolvidas

Indicado para o cargo de secretário de Estado diz que tudo será feito para impedir que Irã tenha arma nuclear. "Política não é a de conter, é a de prevenir"

Por Da Redação 24 jan 2013, 17h09

O senador John Kerry, indicado para o cargo de secretário de Estado pelo presidente americano, Barack Obama, afirmou nesta quinta-feira que Washington fará o necessário para impedir que o Irã consiga armas nucleares. “O presidente disse de maneira definitiva. Faremos tudo o que tivermos que fazer para impedir o Irã de obter uma arma nuclear. E repito aqui hoje: nossa política não é a de conter, é de prevenir”, afirmou Kerry em sabatina na Comissão de Relações Exteriores do Senado, que deve confirmá-lo no cargo.

“Todos estamos muito esperançosos de que teremos algum progresso na frente diplomática agora. Vou trabalhar para dar à diplomacia toda a chance de ser bem-sucedida”, acrescentou, sem revelar a estratégia de negociação dos EUA. Ele observou ainda que Obama deixou claro que está pronto para ter negociações diretas com o Irã se necessário.

Kerry, de 69 anos, ressaltou que a política externa dos Estados Unidos “não se define apenas por drones e tropas”. “Também se define pela segurança alimentar, a segurança energética, a assistência humanitária, a luta contra as doenças e o impulso para o desenvolvimento, assim como se define qualquer iniciativa de luta contra o terrorismo”, pontuou. Fazendo eco ao discurso do presidente Obama na segunda-feira durante a cerimônia de posse, o senador também ressaltou que a “questão vital da mudança climática” deve ser uma prioridade da diplomacia americana.

Saiba mais:

Saiba mais: Economia é primeiro item da lista de desafios de Obama

O presidente Obama indicou Kerry no final de dezembro para substituir Hillary Clinton à frente do Departamento de Estado, considerando-o um “candidato ideal” para dirigir a diplomacia da primeira potência mundial. Hillary fez a apresentaçao do senador na audiência desta quinta, afirmando que ele é “a escolha certa para dar continuidade à política externa do presidente Obama”.

Kerry perdeu as eleições presidenciais de 2004 para George W. Bush. Veterano da Guerra do Vietnã, é um senador experiente especializado em assuntos exteriores. Encontrou-se com o ditador sírio Bashar Assad várias vezes antes do início do conflito, acalmou os ânimos no Paquistão e visitou a Faixa de Gaza, ganhando o respeito de seus colegas democratas e alguns republicanos.

Os críticos de Kerry, porém, dizem que ele fracassaria em obter sanções mais duras para desencorajar o Irã de continuar com seu programa nuclear, embora o nomeado já tenha dado sinais de que está pronto para manter a pressão sobre Teerã. Kerry disse a Menendez, um dos mais ardentes defensores no Senado de sanções mais duras contra o Irã, que estava “totalmente” comprometido em impingi-las.

(Com agências France-Presse e Reuters)

Continua após a publicidade
Publicidade