Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Kerry declara apoio dos EUA aos protestos da Ucrânia

Na Alemanha, o secretário americano defendeu população ucraniana, que luta para "se prender a um só país"

Por Da Redação 1 fev 2014, 10h41

O secretário de Estado americano, John Kerry, declarou neste sábado o apoio dos Estados Unidos e da União Europeia aos protestos na Ucrânia contra o presidente Viktor Yanukovich. “Nenhum lugar hoje é mais importante para a luta pela democracia, pelo futuro europeu do que a Ucrânia”, afirmou Kerry a líderes políticos, diplomáticos e militares presentes na Conferência de Segurança de Munique, na Alemanha. “Os Estados Unidos e a União Europeia devem estar com o povo da Ucrânia nessa luta”, disse.

Saiba mais

Por que UE e Rússia querem tanto a Ucrânia?

Ucrânia, um país com um histórico de tragédias

Segundo Kerry, há uma tendência preocupante em grande parte da Europa Central e Oriental. “As aspirações dos cidadãos estão mais uma vez sendo pisoteados por corruptos, por interesses oligárquicos – interesses que usam dinheiro para sufocar a oposição política e os dissidentes, para comprar políticos e meios de comunicação e para enfraquecer a independência judicial e os direitos das ONGs”, declarou. “Eles (os cidadãos) estão lutando pelo direito de se associar a parceiros que irão ajudá-los a realizar suas aspirações, e eles decidiram que o seu futuro não tem que se prender a um só país.”

Continua após a publicidade

Leia também:

Presidente ucraniano tira licença médica durante crise política

Ucrânia está ‘à beira da guerra civil’, diz ex-presidente Kravchuk

A onda de protestos na Ucrânia teve início no final de novembro, após o presidente Yanukovych ter desistido de assinar um aguardado acordo de cooperação com a União Europeia (UE) em favor de um empréstimo de resgate concedido pela Rússia.

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade
Publicidade