Clique e assine com até 92% de desconto

Justiça turca condena 104 a prisão perpétua por tentativa de golpe

Quatro generais e três almirantes estão entre os sentenciados por levante contra governo de Erdogan

Por Da Redação Atualizado em 21 Maio 2018, 12h15 - Publicado em 21 Maio 2018, 12h09

Um tribunal de Esmirna, na Turquia, condenou à prisão perpétua 104 pessoas, na sua maioria militares, nesta segunda-feira (21). Todos foram condenados por participar de uma tentativa fracassada golpe de Estado, de julho de 2016, contra o governo de Recep Tayyip Erdogan.

Entre os sentenciados estão quatro generais e três almirantes, informou a agência turca Anadolu. Erdogan está em plena campanha para sua reeleição, em 24 de junho. Se eleito, terá seus poderes ampliados graças a uma reforma constitucional aprovada no ano passado.

  • Os juízes ditaram prisão perpétua agravada, o máximo castigo previsto no código penal turco, contra 104 das 137 pessoas julgadas. O processo todo abrangeu 280 acusados.

    Todos são acusados de pertencer à confraria do clérigo turco Fethullah Gülen, exilado nos Estados Unidos, a quem Ancara considera instigador da tentativa de golpe de 15 de julho de 2016. Na década passada, Güllen era aliado de Erdogan, mas ambos divergiram e se tornaram inimigos.

    Outros 31 acusados receberam penas de dez anos e seis meses de prisão por “filiação a um grupo terrorista”, em referência aos seus vínculos com a confraria de Gülen.

    Além disso, os juízes impuseram penas de 20 anos a 21 acusados de terem planejado um atentado contra o presidente Erdogan, que na noite do golpe estava em um hotel no litoral turco.

    (Com EFE)

    Continua após a publicidade
    Publicidade